Casos de Depressão: Como conseguir o Auxílio Doença?

A depressão é uma doença séria e, segundo a Organização Mundial da Saúde, é uma das mais frequentes na população mundial, o que a torna um verdadeiro problema de saúde pública da atualidade.

O quadro de depressão torna o exercício do trabalho inviável e isso pode levar o trabalhador ao afastamento. O segurado do INSS possui direito auxílio-doença e, dependendo do caso, até a aposentadoria por invalidez.

Quais são os sintomas da depressão?

  • Dificuldade de concentração
  • humor deprimido
  • pensamentos negativos
  • redução de interesses em atividades
  • redução motora e de fala
  • autoestima baixa
  • alterações no sono
  • irritabilidade
  • perda da motivação
  • pensamentos suicidas.

Como solicitar o auxílio doença por depressão?

O trabalhador precisa comprovar a incapacidade temporária para as atividades no trabalho. O funcionário precisa afastado por mais de 15 dias corridos ou intercalados dentro do prazo de 60 dias pela mesma doença.

Além disso, o trabalhador precisa ter realizado ao menos doze contribuições à previdência social, exceto os segurados que passem a ter incapacidade por conta do ambiente de trabalho.

Preenchendo todos os requisitos necessários, o funcionário precisará passar por uma perícia médica para que seja comprovada por um médico do INSS que ele é incapaz de trabalhar e se há possibilidade de reversão.

Caso não tenha uma melhora com o passar do tempo, o segurado pode requerer a conversão do auxílio doença em uma aposentadoria por invalidez.

Auxílio doença foi negado… e agora?

É até comum os pedidos de auxílio doença serem negados pela Previdência Social. Além disso, muitas pessoas não conseguem a conversão para aposentadoria por invalidez.

Em casos assim, o segurado pode entrar com um recurso ou processo na justiça para tentar conseguir a concessão dos benefícios que são direito de quem paga o INSS.

A depressão afeta diretamente a vida do paciente e a capacidade do indivíduo é reduzida e isso pode acabar tornando a produtividade muito abaixo do esperado. O trabalhador que sofre de depressão pode acabar tendo o seu quadro piorado se permanecer sem acompanhamento, uma vez que a cobrança excessiva, concorrência e prazos podem ser o estopim para uma crise.

Qualquer doença que torne o indivíduo incapaz de trabalhar, seja ela desenvolvida ou adquirida, e ultrapasse 15 dias, gera o direito de obter o benefício por incapacidade.

Na perícia médica por depressão, o que é analisado?

O médico verificará os transtornos que acometem o trabalhador, assim como as limitações que ele está vivendo e como isso poderá interferir em seu trabalho.

O benefício pode ser negado se o trabalhador não tiver o tempo suficiente de contribuição ou se for considerado que o transtorno não é uma incapacidade que afete o trabalho.

Por isso, é sempre importantíssimo falar sobre todos os sintomas, deixar claro quais são os remédios que você toma e quais foram as interferências médicas que você precisou passar por causa desta doença.

Esteja sempre de olho em seus direitos e nos deveres de sua empresa e também do INSS. Um profissional especializado na Previdência pode te ajudar a conseguir os seus benefícios.

Como Fortalecer o Sistema Imunológico

sistema imunológico ou sistema imunológico é o mecanismo natural de defesa do corpo contra vírus, bactérias, microorganismos e substâncias infecciosas que causam doenças e envelhecimento prematuro, e que também podem afetar o funcionamento de nossas funções e sentidos, incluindo, obviamente, a nossa visão.

Sistema_Imunologico

É comum que, em certas épocas do ano, sem uma causa aparente, nos sintamos mais cansados ​​do que o normal, não acabemos sendo curados por um processo constipado ou febril quando iniciamos outro e sentimos que estamos ficando sem baterias. É possível que isso aconteça porque, quase sem perceber, começamos a modificar nossos hábitos de vida e rotinas saudáveis.

É possível que estejamos comendo depois do expediente e com qualidade inferior, não descanse o suficiente ou não nos desconectemos como deveríamos do estresse dos estudos ou do trabalho. Quando agimos dessa maneira, a principal vítima é o nosso próprio sistema imunológico, que começa a enfraquecer.

Nossas defesas podem ser afetadas por fatores como a presença de uma doença auto-imune ou mudanças sazonais sobre as quais dificilmente temos controle. No entanto, existem vários hábitos e modos de vida nos quais podemos agir que, sem dúvida, nos ajudarão a fortalecer nosso sistema imunológico.

Dicas para Aumentar seu Sistema Imunológico

Faça uma dieta saudável

Este é quase certamente o fator que mais influencia nosso sistema de defesa natural. Nesse sentido, devemos manter um equilíbrio nas refeições, no horário, nas quantidades a serem ingeridas e na composição.

A dieta mediterrânea é a melhor receita a esse respeito, pois, a seguir, forneceremos ao organismo os nutrientes, vitaminas e outros elementos necessários para o bom funcionamento de nossas funções, basais e relacionadas ao dia a dia: trabalho, estudo, praticar esportes… etc.

Melhore o Seu Sistema Imunológico com N-Tense

Gorduras saturadas e excesso de açúcar refinado são elementos que, além de nos fazer ganhar peso e facilitar o desenvolvimento de várias doenças, como cardiovasculares ou diabetes, têm a capacidade negativa de reduzir a resposta imune do nosso corpo ao ataque de microrganismos nocivos.

Pratique exercício físico regularmente

Outro pilar no qual se baseia um sistema imunológico forte e estável é a realização de exercícios físicos, principalmente do tipo aeróbico: caminhar, correr, andar de bicicleta … Sim, o esforço excessivo pode ser contraproducente, de modo que o exercício físico que praticamos Deve ser progressivo e adaptado às nossas possibilidades.

Descanse o suficiente

Muitas das células que farão parte do sistema de defesa do nosso corpo são produzidas enquanto dormimos. Daí a importância de ter um sono reparador todas as noites, cerca de 8 horas e de qualidade, sem interrupções que o perturbem.

Gerenciar bem o estresse

Poucas coisas têm tanta capacidade de prejudicar nosso sistema imunológico quanto um excesso de nervos e estresse. Devemos ser capazes de lidar com o estresse com habilidade, recebendo o apoio de um especialista, se necessário.

Se queremos manter um bom estado visual, devemos sempre tentar manter nosso sistema imunológico com uma dieta rica em antioxidantes e vitaminas A, C e E , exercícios físicos, descanso de qualidade e controle do estresse.

O que é testosterona e seus efeitos?

O hormônio sexual mais importante do homem. A testosterona faz você ser forte e masculino, como a maioria das pessoas sabe.

Biologicamente, eles pertencem ao grupo de andrógenos, os hormônios sexuais do homem. Eles podem ser comparados aos estrogênios da mulher.

A testosterona é o andrógeno mais eficaz que é produzido principalmente nas gônadas masculinas, os testículos. A diminuição contínua da testosterona em conexão com o processo de envelhecimento do homem está além da dúvida hoje.

Diminuição da testosterona na terceira idade

A partir dos 40 anos, a testosterona livre circulante no sangue diminui 1,2% ao ano. No caso de alta variabilidade interindividual, a redução média no nível sanguíneo de testosterona causa uma deficiência de androgênio em cerca de 20 a 30% dos homens a partir dos 50 anos.

Mas cuidado: outros fatores levam à retomada da liberação de testosterona. 

  • estresse
  • nicotina
  • excesso de peso
  • álcool
  • Estresse ou desconforto

Sinais de deficiência de testosterona

Os primeiros sinais de deficiência de testosterona já podem ocorrer por volta dos 40 anos de idade, embora os sintomas típicos sejam descritos na maioria dos casos somente após os 50 anos.

Níveis mais baixos de testosterona estão associados a vários sintomas e alterações adversas:

  • Diminuição da potência muscular
  • densidade óssea reduzida
  • Tendência à obesidade
  • Redução da libido e atividade sexual (Xtrasize para aumentar o desejo)
  • chateado
  • degradação do desempenho
  • redução de carro
  • mal-estar bem
  • Ondas de calor (suores)
  • qualidade do sono em declínio

A ocorrência de um ou mais dos sintomas mencionados em conexão com níveis mais baixos de testosterona no sangue não deve ser um dado adquirido. Agora existem muitas opções de tratamento eficazes .

Assim como a concentração hormonal, a idade da secreção hormonal também muda com a idade. A liberação matinal de testosterona, que é de cerca de 20% em homens jovens a essa hora do dia, não é tão clara.

Leia também : Gel aumenta tamanho Xtragel

Em resumo: o valor da testosterona

Níveis reduzidos de testosterona são frequentemente associados a problemas metabólicos e cardiovasculares, incluindo aumento do risco de diabetes (diabetes, obesidade, níveis elevados de lipídios no sangue). Tais distúrbios ou alterações ocorrem quando os homens têm um nível mais alto de testosterona, que diminui lentamente.

Em um estudo internacional de larga escala, os níveis de testosterona foram determinados em homens entre as idades de 40 e 75 anos, e o risco de 10 anos de doença cardiovascular e outros distúrbios associados foi medido.

O valor de corte (valor limite) foi determinado. Além disso, os cientistas conseguiram mostrar que homens com função sexual comprometida (disfunção erétil ou redução da libido) tinham um risco significativamente maior para ter uma doença cardíaca.

É importante aqui: Atualmente, na medicina, homens hipogonadais são usados ​​quando os níveis sanguíneos de testosterona estão baixos e sintomas correspondentes definidos estão presentes.

Em outro estudo científico, a taxa geral de mortalidade (taxa de mortalidade por todas as causas de morte consideradas em conjunto) foi examinada em função do valor da testosterona. Em um estudo de coorte com vários 10.000 homens, foi possível demonstrar que homens com bons níveis de testosterona tinham menor risco de morrer.

A soja afeta a saúde sexual?

Na prática, muitas vezes se pergunta se o consumo de soja influencia o orçamento do homem para testosterona. A resposta é não! A soja não afeta o equilíbrio de testosterona do homem. Isso foi demonstrado em vários estudos científicos. Mas os cientistas descobriram que a soja pode diminuir o colesterol no sangue.

Antecedentes: produtos de soja e soja estão crescendo em popularidade. Como resultado, muitos homens temem que o aumento da ingestão do produto natural possa diminuir os níveis de testosterona masculina. Porque a soja é uma isoflavona, então um fitoestrogênio e, portanto, um componente à base de plantas que se comporta como o hormônio feminino estrogênio.

E os homens compreensivelmente não querem ter níveis significativamente aumentados de estrogênio. Acreditando que a soja pode diminuir os níveis de testosterona ou que, como resultado do aumento do consumo, redução da libido, disfunção erétil, perda de massa muscular, depressão, fadiga ou mesmo osteoporose, muitos homens relutam em ingerir grandes quantidades de fitoestrogênios levar Mas os medos são infundados.

Em uma metanálise de todos os estudos científicos, foi possível demonstrar que o consumo de soja nos homens não leva a uma redução do hormônio do rei. Então continue a pegar produtos de soja!

Você não fala sobre disfunção erétil

Mais do que nunca, muitas coisas hoje em dia, especialmente na publicidade, gira em torno do sexo. Isso significa pressão para muitos homens.

Mas ninguém fala sobre disfunção erétil (também chamada de disfunção erétil ou impotência). Os homens querem ser fortes e potentes! Eles definem sua masculinidade através de suas possibilidades e habilidades sexuais. Em nossa sociedade esclarecida, a disfunção erétil e a ejaculação precoce ainda é um tópico tabu.

O que significa disfunção erétil?

Disfunção ou impotência erétil significa a incapacidade existente ou recorrente de alcançar e / ou manter uma ereção suficiente para uma relação sexual satisfatória.

Como regra geral, se mais de 30 a 50% das tentativas de relações sexuais nos últimos 3 meses forem frustrantes, você pode ter uma disfunção erétil.

Quantos homens são afetados?

Muitos homens são afetados? Eu sou o único homem afetado por isso? Não, você não está sozinho!

Quando os homens sofreram permanentemente de ereções inadequadas, quando “não” deu certo, o silêncio foi necessário por um longo tempo – mesmo na ciência. Por mais de seis décadas, o Relatório Kinsey de 1948 foi o único estudo viável sobre comportamento sexual e disfunção sexual.

O estudo atualmente mais significativo sobre a disfunção erétil é baseado em uma pesquisa com 10.000 homens, liderada pelo Prof. Dr. med. O verão foi realizado. Ela mostrou que um em cada cinco homens entre 50 e 59 anos sofre de disfunção erétil.

E um em cada três homens entre 60 e 69 anos reclama de problemas de ereção menores ou graves. Enquanto isso, a disfunção erétil é muito mais numerosa do que outras doenças típicas da civilização, como pressão alta (hipertensão), doença coronariana, diabetes (diabetes), hiperlipidemia ou arteriosclerose generalizada.

Uma primeira indicação de se você sofre de disfunção erétil fornece nosso autoteste.

Leia também: Como deixar o penis meu grosso

Causas de problemas de ereção

As causas da disfunção erétil podem ser categorizadas em causas orgânicas, causas psicogênicas e causas relacionadas à idade. Aqui, a disfunção eréctil devido ao crescimento orgânico em mais do que 80 por cento dos casos, e pode ser tratado em conformidade. Mais sobre as causas

O diagnóstico – o que procurar

Um diagnóstico mais preciso (e, é claro, ajuda) é fornecido pelo médico, que pode usar vários exames para determinar exatamente onde está o problema e como ele pode ser tratado.

Certifique-se de que seu médico ofereça o equipamento e procedimentos de diagnóstico apropriados, como um biotesiômetro (para medição de nervos), um EMG (que detecta os músculos do assoalho pélvico), uma dinamometria , um ultrassom para sonografia Doppler duplex com código de cores (para medir a 4 vasos penianos) e um aparelho que pode detectar a composição do tecido erétil.

Problemas de ereção – terapia e cura

Existem inúmeras opções de cura e tratamento para o tratamento da disfunção erétil. Hoje em dia, nenhum homem precisa sofrer de impotência, já existem soluções farmacológicas e naturais para tratar a impotência sexual

Problemas de potência: Problemas de ereção masculina

Remédio para impotência sexual masculina

Dificilmente qualquer outra parte do corpo está tão no centro do interesse público quanto o pênis. Como sede simbólica da autoconsciência masculina, de potência e virilidade, o pênis é o centro da identidade masculina.

Isso não mudou desde o início da história da humanidade – os homens devem ser fortes e potentes. E quem é um homem de verdade pode sempre.

O sexo nos rodeia, não importa para onde olhamos. Seja na TV, na publicidade ou no cinema – é tudo sobre sexo. Homens que não dormem com o parceiro todas as noites e podem fazê-lo várias vezes seguidas não se sentem suficientemente masculinos. Uma reivindicação que gera grande pressão e nem sempre é útil para a mão de obra.

Comparação curta de realidade

Por outro lado, a vista para o quarto local é menos emocionante: em média, os casais alemães têm entre 3,8 e 5,9 minutos de sexo, e isso em média uma vez por semana.

O professor Frank Sommer queria saber mais: com sua equipe de pesquisa de seis pessoas, o especialista em impotencia sexual masculinos analisou a questão de quais preferências e problemas sexuais os homens têm hoje.

Ele enviou questionários para 10.000 homens e descobriu que não havia muita coisa acontecendo nas camas alemãs sobre sexo. Isto é devido ao estresse, bem como muitos hormônios femininos nos homens .

Os fatos

Embora quase não houvesse dia sem sexo na faixa etária de 18 a 30 anos, parece ser a exceção hoje. “Com que frequência você e seu parceiro fazem sexo?” Essa pergunta foi respondida em um estudo de 30 anos atrás, com 22 a 28 vezes por mês, hoje acontece de acordo com os homens pesquisados ​​nem a metade da frequência: ou seja, apenas quatro a dez vezes por mês.

Homens entre 31 e 40 anos têm ainda menos relações sexuais: três a seis vezes por mês agora é normal.
Mesmo as crianças de 41 a 50 anos não costumam ter mais um número quente: ficam satisfeitas duas a três vezes por mês.

Muito menos não é possível? Por todos os meios: de 51 a 60 anos de idade têm no máximo duas vezes sexo – pelo menos no mês e não no ano.

Uma tendência que provavelmente continuará ainda mais. Além disso, mais do que cada segundo homem reclama de problemas eréteis a partir dos 40 anos.

As causas para isso são múltiplas. Começando com o estresse na vida cotidiana, problemas de estilo de vida (álcool, drogas, nicotina) a causas orgânicas .

No entanto, este não é um destino que homens e casais precisam se render. Hoje, existem inúmeras maneiras de aumentar a potência e curar a impotência. Aprenda mais

Sexo e Masculinidade – O elixir da vida para a parceria

O sexo é um fator essencial na vida e nos relacionamentos. Quando o sexo falha, geralmente também tem efeitos colaterais no relacionamento e no parceiro.

Por exemplo, um estudo mostra que homens com disfunção erétil costumam se aposentar de relacionamentos de parceria. Eles têm medo de toque físico e ternura, como beijar ou abraçar gentilmente, pois isso pode se tornar uma “demanda” do parceiro por relações sexuais. Porque nesse caso, o homem teria que admitir que não é mais capaz de construir uma ereção. Esse recuo do homem é muito estressante para a parceria e não um caso isolado. Isso acontece em mais de 83% de todas as parcerias nas quais o homem é afetado pela disfunção erétil.

Disfunção erétil pode causar depressão

Além disso, estudos mostram que homens que sofrem de disfunção erétil e, portanto, sentem uma carga de sofrimento, têm uma probabilidade muito maior de ficarem deprimidos. No estudo, mais de 30% dos homens desenvolveram depressão. Às vezes, eram tão sérios que não podiam mais trabalhar e estavam de licença médica por um longo período.

O grande silêncio

Poucos homens falam sobre isso quando falha na cama. E muitos se rendem a isso, fiel ao lema “Sexo não é tudo” ou “É assim mesmo”.

Isso é compreensível se não houver problemas de potência no ambiente externo entre amigos e colegas. Mesmo dentro da parceria, a disfunção erétil existente costuma se tornar um assunto tabu.

No entanto, sabemos que cada segundo homem com mais de 40 anos sofre de problemas eréteis leves a graves. Você sabia que existe uma conexão estreita entre problemas eréteis, pressão alta e o risco de derrame e ataque cardíaco? Vários estudos comprovam isso, outra razão pela qual é tão importante que os homens lidem com esse problema.

Você conhece empresas com ambiente tóxico,  pessoas negativas, medrosas, ansiosas, sem criatividade, que não encontram soluções para os problemas ou não conseguem enxergar oportunidades de negócios?

Geralmente isso acontece quando elas não possuem em seu quadro funcional e principalmente na gestão, pessoas com inteligencia emocional

Veja mais sobre curso inteligencia emocional ead

Inteligência Emocional (IE) na Carreira e nos Negócios

Segundo o PhD. e Psicólogo Daniel Goleman, da Universidade de Harvard, ter Inteligência Emocional é essencial para ter sucesso na vida. Quanto maior o cargo e as responsabilidades, mais dependemos dela para sermos autorrealizados. Somente com IE podemos ter maior autoconhecimento, autorregulação e adaptabilidade, características fundamentais para o bom desempenho profissional.

Frequentemente, altos níveis de IE nos permite compreender nossos sentimentos, o que nos leva a eles e o que nos deixa emocionalmente abalados. Consequentemente, podemos trabalhar isso em nós. Com a IE podemos ler as emoções das outras pessoas, sendo elas clientes, fornecedores, pares, subordinados ou chefes. Por isso, temos uma percepção correta do ambiente, e adaptamos rapidamente a ele,a gindo de forma sensível ao contexto. Tudo isso é uma grande vantagem competitiva na carreira e nos negócios.

Empresas Sem IE

Entretanto, um líder ou gestor sem IE é frio, egocêntrico, distante, rancoroso, mal-humorado e/ou grosseiro. E essas emoções se alastram pela empresa como a corrente elétrica corre pelos fios, ocorrendo o contágio emocional. Em pouco tempo, todos os colaboradores compartilham desses sentimentos negativos.

E profissionais tensos e aterrorizados, agem pelo medo.

Provavelmente eles apresentem produtividade, mas somente no curto prazo.  Logo depois, o estresse aparece. A impressão é que estão “travados” e param de produzir rapidamente. Como consequência, ficam doentes ou desligam-se da empresa. Isso gera um ciclo vicioso alimentado pela negatividade.

Veja mais sobre o melhor curso de coaching em campinas

Inteligência Emocional na Empresa

Já um líder com alto nível de Inteligência Emocional cria uma atmosfera positiva, com troca de informações, confiança, colaboração, criatividade e assume riscos calculados. Cria um ambiente saudável onde todos se desenvolvem, mesmo em épocas de crises e incertezas.

Entretanto, Inteligência Emocional na empresa não significa colocar uma máscara de alegria todos os dias e sorrir o tempo todo. É, sobretudo, disseminar o otimismo e a esperança em tempos difíceis, ter energia e entusiasmo para despertar a motivação em uma organização apreensiva. Tudo isso com sinceridade e realismo.

Enfim, a IE pode ser desenvolvida, independente do ramo e do tamanho do negócio. Não é um processo simples ou fácil – e exige comprometimento. Entretanto, seus benefícios tanto para as pessoas quanto para as empresas, justificam os esforços e os investimentos.

Artigo original visto em https://isiinfinity.com.br

Disfunção erétil e aumento de pênis

Um problema que muitos homens enfrentam é a disfunção erétil, ejaculação precoce e o tamanho do pênis. Isso pode não parecer tao grave, mas pode se agravar quando ele esta prejudicando o homem diretamente ou indiretamente nos relacionamentos.

Diretamente quando se falamos em disfunção, quando o homem não consegue manter ou ter uma ereção, isso acaba com auto estima e destrói relacionamentos. O aumento do pênis pode ser indiretamente pois deixa o homem com o psicológico ruim na hora do sexo.

Há formas fáceis de como aumentar o pênis rapidamente com cremes e bombas penianas, mas e quando o problema também mexe com as ereções? Veja algumas das formas de obter ere coes duradouras com eficiência.

A VANTAGEM DAS INJEÇÕES INTRACAVERNOSAS

As injeções funcionam rapidamente, em 3 a 5 minutos o pênis fica totalmente rígido, sendo que a rigidez peniana é “nota 10” e dura por 60 a 90 minutos. Podem ser usadas mesmo com bebidas alcoólicas ou após uma refeição. São facílimas de aplicar e não doem absolutamente nada. (o que dói, e muito, é não conseguir ter relação quando se deseja).

Comparado com os comprimidos, a injeção permite ajustar a dose exatamente de acordo com a necessidade do paciente. Isso é de grande utilidade quando o paciente faz a terapia combinada associando a medicação injetável com o tratamento psicológico que programa a retirada progressiva da medicação injetável, de modo a recuperar as suas ereções espontâneas, o que costuma ocorrer ao final de 2 ou 3 meses de tratamento.

À medida que os pacientes recuperam a autoconfiança, aumenta o tempo de ereção, o que indica a necessidade de se diminuir gradativamente a dose do medicamento. Esse acompanhamento deve ser feito pelo psicólogo em conjunto com o urologista.

Consideramos que essa é a forma mais honesta e correta de tratar a disfunção erétil, pois é a que dá mais chance para a recuperação das ereções espontâneas, sem “condenar” os pacientes a uma escravidão perpétua dos comprimidos orais, apenas para ter relações sexuais. Além disso as injeções têm um custo muitíssimo mais baixo, sendo muito mais acessíveis; o que possibilita relações sexuais diárias.

Alguns trabalhos tentam demonstrar se haveria alguma relação entre a técnica de injeções intracavernosas e a curvatura peniana. Isso costuma ser citado como uma das possíveis causas de curvatura do pênis. Na verdade essa relação jamais ficou comprovada de forma clara, tanto que a grande maioria dos pacientes (99%, talvez) que têm curvatura peniana, jamais usou injeção no pênis.

INJEÇÃO NO PÊNIS DÓI? NÃO! INJEÇÃO NO PÊNIS NÃO DÓI!

Ao contrário do que se pensa, injeção no pênis NÃO DÓI absolutamente nada. Você ficaria surpreso ao constatar esse fato. Para comprovar o que digo faça um teste: dê um beliscão em qualquer parte do seu corpo, no braço, na coxa, no abdome e em seguida dê o mesmo beliscão (com a mesma força) na pele do seu pênis. Viu?????? É interessante verificar a reação dos pacientes ao aplicarem as injeções no pênis; eles relatam que não sentem aquilo que estão vendo acontecer. Pode parecer estranho, pois o que ocorre é justamente o contrário do que se imagina. INJEÇÃO NO PÊNIS NÃO DÓI.

Opção de creme

Uma opção de creme para melhorar a disfunção e o tamanho do pênis, pode ser através de creme. Um dos mais utilizados cremes para este fim é o Creme Macho, veja o vídeo abaixo:

Micoses de pele

O que são micoses de pele e o que elas podem causar.

Muitas infecções fúngicas da pele envolvem fungos encontrados na microbiota normal da pele. Alguns desses fungos podem causar infecção quando entram na ferida; outros causam principalmente infecções oportunistas em pacientes imunocomprometidos.

Outros patógenos fúngicos causam infecção principalmente em ambientes úmidos que promovem o crescimento de fungos; por exemplo, sapatos suados, chuveiros comuns e vestiários oferecem excelentes criadouros que promovem o crescimento e a transmissão de patógenos fúngicos.

As infecções fúngicas, também chamadas de micoses , podem ser divididas em classes com base em sua invasividade. Micoses que causam infecções superficiais da epiderme, cabelos e unhas, são chamadas de micoses cutâneas .

Micoses que penetram na epiderme e na derme para infectar tecidos mais profundos são chamadas micoses subcutâneas . Micoses que se espalham por todo o corpo são chamadas micoses sistêmicas .

 

Tineas

Um grupo de micoses cutâneas chamadas tineas são causadas por dermatófitos , fungos que requerem queratina, uma proteína encontrada na pele, cabelos e unhas, para crescimento. Existem três gêneros de dermatófitos, os quais podem causar micoses cutâneas: Trichophyton , Epidermophyton e Microsporum .

As tineas na maioria das áreas do corpo são geralmente chamadas de micose , mas as tineas em locais específicos podem ter nomes e sintomas distintos (consulte a Tabela 1 e Figura 1). Lembre-se de que esses nomes – embora sejam latinos – se referem a locais no corpo, não a organismos causadores. As tineas podem ser causadas por diferentes dermatófitos na maioria das áreas do corpo.

Os dermatófitos são comumente encontrados no ambiente e nos solos e são frequentemente transferidos para a pele através do contato com outros seres humanos e animais. Esporos de fungos também podem se espalhar nos cabelos.

Muitos dermatófitos crescem bem em ambientes úmidos e escuros. Por exemplo, tinea pedis ( pé de atleta) geralmente se espalha em chuveiros públicos, e os fungos causadores crescem bem no escuro e úmido espaço confinado de sapatos e meias suados. Da mesma forma, tinea cruris (jock coceira) costuma se espalhar nos ambientes comunitários e prosperar em roupas quentes e úmidas.

As tineas do corpo

( tinea corporis ) geralmente produzem lesões que crescem radialmente e curam em direção ao centro. Isso causa a formação de um anel vermelho, levando ao nome enganoso da micose. Lembre-se do caso Clinical Focus iniciado em Parasitas eucarióticos unicelulares .

Várias abordagens podem ser usadas para diagnosticar tineas. Uma lâmpada de madeira(também chamada de lâmpada preta) com comprimento de onda de 365 nm é frequentemente usada. Quando direcionada para uma tinea, a luz ultravioleta emitida pela lâmpada de Wood faz com que os elementos fúngicos (esporos e hifas) fiquem fluorescentes.

A avaliação microscópica direta de amostras de raspagens na pele, cabelos ou unhas também pode ser usada para detectar fungos. Geralmente, essas amostras são preparadas em uma montagem úmida usando uma solução de hidróxido de potássio (KOH aquoso a 10% a 20%), que dissolve a queratina nos cabelos, unhas e células da pele para permitir a visualização das hifas e esporos de fungos.

As amostras podem ser cultivadas em Sabouraud dextrose CC (cloranfenicol / ciclo-hexamida), um ágar seletivo que suporta o crescimento de dermatófitos enquanto inibe o crescimento de bactérias e fungos saprófitos (Figura 2). A morfologia macroscópica das colônias é frequentemente usada para identificar inicialmente o gênero do dermatófito; a identificação pode ser confirmada visualizando a morfologia microscópica usando uma cultura de lâminas ou uma preparação de fita adesiva corada com azul de algodão com lactofenol.

Vários tratamentos antifúngicos podem ser eficazes contra tineas. Pomadas de alilamina que incluem terbinafina são comumente usadas; o miconazol e o clotrimazol também estão disponíveis para tratamento tópico e a griseofulvina é usada por via oral.

 

Aspergilose Cutânea

Outra causa de micoses cutâneas é o Aspergillus , um gênero composto por fungos de muitas espécies diferentes, algumas das quais causam uma condição chamada aspergilose . Aspergilose cutânea primária, na qual a infecção começa na pele, é rara, mas ocorre.

Mais comum é a aspergilose cutânea secundária, na qual a infecção começa no sistema respiratório e se espalha sistematicamente. Aspergilose cutânea primária e secundária resultam em escaras distintas que se formam no local ou locais da infecção (Figura 3). Aspergilose pulmonar será discutida mais minuciosamente em Micoses respiratórias ).

A aspergilose cutânea primária geralmente ocorre no local de uma lesão e é mais frequentemente causada por Aspergillus fumigatus ou Aspergillus flavus . Geralmente é relatado em pacientes que sofreram ferimentos enquanto trabalhavam em um ambiente agrícola ou ao ar livre.

No entanto, infecções oportunistas também podem ocorrer em serviços de saúde, geralmente no local de cateteres intravenosos, feridas por punção venosa ou em associação com queimaduras, feridas cirúrgicas ou curativo oclusivo. Após a candidíase, a aspergilose é a segunda infecção fúngica adquirida no hospital mais comum e geralmente ocorre em pacientes imunocomprometidos, que são mais vulneráveis ​​a infecções oportunistas.

A aspergilose cutânea é diagnosticada usando a história do paciente, cultura, histopatologia usando uma biópsia de pele. O tratamento envolve o uso de medicamentos antifúngicos como o voriconazol (preferido para aspergilose invasiva), itraconazol e anfotericina B se o itraconazol não for eficaz. Para indivíduos imunossuprimidos ou pacientes queimados, pode ser usada medicação e tratamentos cirúrgicos ou de imunoterapia podem ser necessários.

 

Candidíase da pele e unhas

Candida albicans e outras leveduras do gênero Candida podem causar infecções de pele chamadas candidíase cutânea. Candida spp. às vezes são responsáveis ​​pelo intertrigo , um termo geral para uma erupção cutânea que ocorre em uma dobra da pele ou outras erupções cutâneas localizadas na pele. A Candida também pode infectar as unhas, tornando-as amarelas e endurecidas.

A candidíase da pele e unhas é diagnosticada através da observação clínica e através da cultura, coloração de Gram e montagens úmidas de KOH. Também é possível realizar testes de susceptibilidade para agentes antifúngicos.

A candidíase cutânea pode ser tratada com medicamentos antifúngicos tópicos ou sistêmicos do azol. Como a candidíase pode se tornar invasiva, os pacientes que sofrem de HIV / AIDS, câncer ou outras condições que comprometem o sistema imunológico podem se beneficiar do tratamento preventivo. Azóis, como clotrimazol , econazol , fluconazol , cetoconazol e miconazol ; nistatina ; terbinafina ; e naftifinapode ser usado para tratamento.

O tratamento a longo prazo com medicamentos como itraconazol ou cetoconazol pode ser usado para infecções crônicas. As infecções repetidas ocorrem frequentemente, mas esse risco pode ser reduzido seguindo cuidadosamente as recomendações de tratamento, evitando umidade excessiva, mantendo boa saúde, praticando boa higiene e vestindo roupas adequadas (incluindo calçados).

 

Impingem

Esse é também um problema que afeta muitas pessoas e para saber mais detalhes da Impinge tratamento caseiro, basta acessar o site Minha Dieta Funciona, lá você vai encontrar todos os detalhes do problema de pele.

 

 

Benefícios do Óleo de Cartamo para Saúde

O óleo de cártamo se tornou conhecido apenas pelo poder emagrecedor, porém, não é apenas este benefício que o produto oferece, do contrário, ele possui diversas propriedades que podem ser consideradas como importantes para o nosso organismo. E se você, assim como outras pessoas tem interesse em tomar, mas se sente inseguro com relação aos benefícios que ele pode lhe proporcionar.

Benefícios do Óleo de Cartamo para Saúde

Como já pode ser de conhecimento de muitos, o óleo de cártamo tem a capacidade de acelerar o metabolismo, o que poderá auxiliar no emagrecimento de forma mais rápida e ainda assim segura.

O óleo de cártamo também tem a capacidade de inibição da enzima que recebe o nome de Lipase Lipoprotéica que é a responsável pelo aumento das células de gordura no nosso organismo, e também faz com que o corpo acabe por utilizar a gordura que possui como fonte de energia, e claro que não podemos nos esquecer de que também possui a capacidade de redução da gordura localizada, ou seja, também auxilia na diminuição da celulite.

Também contribui para a diminuição do colesterol, além de possuir diversas propriedades em sua composição que podem se caracterizar pela ação anti-inflamatória e ainda poderá potencializar o sistema imunológico, ou seja, além de todos os benefícios oferecidos pelo óleo de cártamo, ainda poderá fazer com que você tenha menos doenças ao longo do seu dia a dia.

Benefícios do Óleo de Cartamo para Saúde

Estes são apenas alguns dos benefícios oferecidos pelo óleo de cártamo, mas é é possível que ele lhe ofereça muitos outros, como por exemplo, o fato de se tratar de um produto oxidante, ou seja, poderá lhe oferecer melhorias na pele, assim como dificultar o envelhecimento desta.

Como se pode observar, os benefícios ao nosso organismo são diversos, e ainda possibilita que você ainda perca algumas medidas, porém, é importante lembrar que o produto só seja consumido sob a orientação de um profissional da área da saúde, tanto para preservá-la, como também para indicar a melhor forma de consumir.

 

Conheça mais sobre a cirurgia plástica de abdominoplastia

A abdominoplastia é uma das Cirurgia plástica mais realizadas em nosso país, mas, mesmo assim, muitas pessoas ainda possuem dúvidas sobre ela.

Esta cirurgia também é conhecida como cirurgia de abdômen, sendo responsável por retirar o excesso de pele e flacidez do abdômen, melhorando a aparência deixando a pele da região e mais firme.

Mas, está uma cirurgia que não visa o emagrecimento e nem a eliminação de gordura, por isso, não pode ser feita para esse fim. Claro, ocorre uma eliminação parcial de gordura na área, mas o objetivo principal é a retirada da pele e remodelagem da silhueta.

A cirurgia de abdominoplastia

A abdominoplastia é feita através de uma incisão na horizontal, para ter uma noção, na linha dos pelos pubianos, na parte baixa do abdômen.

A extensão desse corte dependerá da técnica escolhida pelo Cirurgião plástico e da quantidade de pele que será retirada, quanto mais pele a ser retirada, maior será o corte. Também, em casos, quando existe uma grande quantidade de pele, pode até mesmo ser necessário um transplante de umbigo ou remodelá-lo.

Este procedimento leva, em média, de 2 a 3 horas, e o paciente devera permanece no hospital internado de 12 a 24 horas, dependendo de caso para caso.

Anestesia usada na Abdominoplastia?

De modo geral, a anestesia utilizada na abdominoplastia é ráqui ou a peridural, mas em procedimentos mais complexos, que exigirão uma remoção de grandes quantidades de pele ou a associação com outros procedimentos, como a lipoaspiração, por exemplo, usa-se anestesia geral.

Abdominoplastia junto com outras cirurgias

Em muitos casos, é recomendado realizar outra cirurgia junto com a abdominoplastia, a lipoaspiração é um exemplo, já que ela ajudará a definir os contornos corporais. Também, podem ser feitas cirurgias de mama e até procedimentos faciais pequenos.

Porém, é necessário que os procedimentos associados a abdominoplastia não demandem muito tempo, já que isso pode aumentar a duração da cirurgia além do que é recomendado.

Quem pode fazer a abdominoplastia?

De modo geral, quem procura a abdominoplastia são pessoas que perderam muito peso e a pele ficou flácida. Assim, mulheres que passaram por uma gestação também podem sofrer com este problema. O que ambos pacientes têm em comum é a flacidez da pele, depósitos de gordura e estrias na região do abdômen.

Este procedimento pode ser realizado tanto por mulheres, como por homens e o resultado será um abdômen mais liso e tonificado.

A única restrição aqui é para as mulheres que tiveram filhos recentemente, já que elas só podem fazer a abdominoplastia pelo menos após seis meses depois do término da amamentação.

Riscos da abdominoplastia

Como toda Cirurgia plástica Brasília, a abdominoplastia também apresenta alguns riscos, como por exemplo, para fumantes, existe um risco maior de necrose do tecido abdominal o que compromete o resultado final da cirurgia.

Porém, nos demais casos, esse risco é bem menor, mas o aparecimento de queloide também pode ocorrer, mas isto depende de fatores genéticos e manutenção da incisão.

Entre os riscos que a abdominoplastia apresenta estão:

  • Infecção da incisão
  • Formação de seroma
  • Hematomas
  • Formação de bolhas e feridas
  • Formação de trombos
  • Alteração da sensibilidade

Como é a recuperação pós abdominoplastia?

Após a alta, será preciso seguir uma série de recomendações médicas para ter uma correta recuperação do seu organismo, como permanecer com drenos por 7 dias, além de realizar sessões de drenagem linfática, por exemplo.

Também é recomendado não andar de forma reta por uma semana para diminuir a dor e evitar romper os pontos. Usar cinta modeladora por 30 dias, também é uma recomendação, já que ela auxilia na diminuição do inchaço.

É importante não fumar nem consumir bebidas alcoólicas durante a recuperação, já que isso ajuda a evitar edemas, sendo importante manter uma alimentação saudável e leve.

Mas, é importante saber que para cada paciente, as recomendações do pré e pós-operatórias podem variar de caso para que o procedimento seja ainda mais seguro. Por isso, não deixe de consultar o Dr. Armando Cunha caso ainda tenha dúvidas.