Categoria: Saúde Internacional

Qual é o papel dos medicamentos no tratamento da obesidade?

O tratamento medicamentoso da obesidade deve ser usado apenas em pacientes que apresentam riscos à saúde relacionados à obesidade.

Os medicamentos devem ser usados em pacientes com IMC superior a 30 ou naqueles com IMC superior a 27 que têm outras condições médicas (como pressão alta, diabetes, colesterol alto) que os colocam em risco de desenvolver doenças cardíacas.

Os medicamentos não devem ser usados por razões cosméticas.

Os medicamentos só devem ser usados como um complemento às modificações da dieta e a um programa de exercícios.

Assim como a dieta e os exercícios, o objetivo do tratamento medicamentoso deve ser realista. Com o tratamento medicamentoso bem-sucedido, pode-se esperar uma perda de peso inicial de pelo menos 5 libras durante o primeiro mês de tratamento e uma perda de peso total de 10% a 15% do peso corporal inicial.

Também é importante lembrar que esses medicamentos só funcionam quando são tomados. Quando são descontinuados, geralmente ocorre aumento de peso.

A primeira classe (categoria) de medicamentos usados para controle de peso causa sintomas que mimetizam o sistema nervoso simpático. Eles fazem com que o corpo se sinta “sob estresse” ou “nervoso”. Como resultado, o principal efeito colateral dessa classe de medicamento é a hipertensão.

Esta classe de medicamento inclui a sibutramina ( Meridia , que foi retirada do mercado nos Estados Unidos em outubro de 2010 por questões de segurança) e a fentermina (Adipex P). Esses medicamentos também diminuem o apetite e criam uma sensação de saciedade.

A fome e a saciedade (saciedade) são reguladas por substâncias químicas cerebrais chamadas neurotransmissores. Exemplos de neurotransmissores incluem serotonina, norepinefrina e dopamina.

Os medicamentos anti-obesidade que suprimem o apetite aumentam o nível desses neurotransmissores na junção (chamada sinapse) entre as terminações nervosas do cérebro.

Fentermina

Fentermina (Fastin, Adipex P) – a outra metade de fen / phen – suprime o apetite, causando uma liberação de norepinefrina no corpo. A fentermina isolada ainda está disponível para o tratamento da obesidade, mas apenas em curto prazo (algumas semanas).

Os efeitos colaterais comuns da fentermina incluem dor de cabeça, insônia, irritabilidade e nervosismo. A fenfluramina (o fen / fen) e a dexfenfluramina (Redux) suprimem o apetite principalmente pelo aumento da liberação de serotonina pelas células.

Tanto a fenfluramina quanto a dexfenfluramina foram retiradas do mercado em setembro de 1997 por causa da associação desses dois medicamentos com hipertensão pulmonar (uma doença rara, mas grave, das artérias nos pulmões) e associação de fen / phen com danos às válvulas cardíacas.

Desde a retirada da fenfluramina, alguns sugeriram combinar a fentermina com a fluoxetina (Prozac), uma combinação que foi chamada de phen / pro. No entanto, nenhum ensaio clínico foi realizado para confirmar a segurança e eficácia desta combinação. Portanto, esta combinação não é um tratamento aceito para a obesidade.

Orlistat (Xenical, alli)

A próxima classe (categoria) de drogas altera o metabolismo da gordura. Orlistat ( Xenical , alli ) é o único medicamento desta categoria aprovado pela FDA nos EUA.

Esta é uma classe de medicamentos anti-obesidade chamados inibidores da lipase ou bloqueadores de gordura. A gordura dos alimentos só pode ser absorvida pelo corpo após ser quebrada (um processo chamado digestão ) por enzimas digestivas chamadas lipases nos intestinos.

Ao inibir a ação das enzimas da lipase, o orlistat impede a absorção intestinal de gordura em 30%. Os medicamentos desta classe não afetam a química do cérebro.

Teoricamente, o orlistat também deve ter efeitos colaterais sistêmicos mínimos ou nenhum (efeitos colaterais em outras partes do corpo) porque o principal local de ação é dentro do lúmen intestinal e muito pouco do medicamento é absorvido.

A US Food and Drug Administration aprovou as cápsulas de orlistat, com a marca alli, como um tratamento de venda livre (OTC) para adultos com sobrepeso em fevereiro de 2007.

O medicamento havia sido aprovado anteriormente em 1999 como um auxiliar de prescrição de perda de peso, cuja marca é Xenical. O preparado OTC tem dosagem mais baixa do que o Xenical prescrito.

Orlistat é recomendado apenas para pessoas com 18 anos de idade ou mais, em combinação com uma dieta e regime de exercícios.

Pessoas com dificuldade de absorção de alimentos ou que não apresentam excesso de peso não devem tomar orlistato. O excesso de peso é definido pelo Instituto Nacional de Saúde dos Estados Unidos como tendo um índice de massa corporal (IMC) de 27 ou superior.

O orlistat pode ser tomado até três vezes ao dia, com cada refeição contendo gordura. O medicamento pode ser tomado durante a refeição ou até uma hora após a refeição.

Se a refeição for esquecida ou se houver muito baixo teor de gordura, os medicamentos não devem ser tomados.

Os efeitos colaterais mais comuns do orlistat são alterações nos hábitos intestinais.

Estes incluem gases, a necessidade urgente de evacuar, evacuações oleosas, secreção oleosa ou manchas com as evacuações, um aumento da frequência das evacuações e a incapacidade de controlar os movimentos intestinais.

As mulheres também podem notar irregularidades no ciclo menstrual enquanto tomam orlistat.

Os efeitos colaterais são mais comuns nas primeiras semanas após o início do tratamento com orlistat. Em algumas pessoas, os efeitos colaterais persistem enquanto estiverem tomando o medicamento.

Pessoas com diabetes, problemas de tireoide, que receberam um transplante de órgão ou que estão tomando medicamentos prescritos que afetam a coagulação do sangue devem consultar seu médico antes de usar orlistat (alli) OTC, uma vez que são possíveis interações medicamentosas com certos medicamentos.

Uma diminuição a longo prazo na absorção de gordura pode causar deficiência de vitaminas solúveis em gordura (como as vitaminas A, D, E, K). Portanto, os pacientes que tomam orlistat devem receber suplementação vitamínica adequada.

Lorcaserin (Belviq)

Em junho de 2012, o FDA aprovou Belviq (cloridrato de lorcaserina) como medicamento para emagrecer. O medicamento atua controlando o apetite (via ativação da serotonina).

De acordo com dados do FDA, quase metade dos pacientes que usaram a medicação perdeu pelo menos 5% do peso inicial, o que é mais que o dobro do peso perdido pelos pacientes do grupo controle. Isso só era verdade para pacientes sem diabetes tipo 2.

O medicamento é aprovado para pacientes obesos (IMC> 30) ou com sobrepeso (BMQ> 27) com um problema de saúde relacionado ao peso.

Os efeitos colaterais predominantes foram dor de cabeça e tontura, além de fadiga. Em pacientes com diabetes, o baixo teor de açúcar no sangue também foi uma preocupação ao tomar Belviq.

E então, ficou alguma dúvida em relação ao conteúdo que trouxemos hoje?

Já conhecia algum desses produtos para emagrecer?

Conte a nós, comente abaixo!

Até a próxima!

Que vacinas tomar para viajar para outro país

Se você pretende viajar para fora do país é necessário saber as vacinas obrigatórias.

No artigo de hoje do nosso site gtpos vamos falar sobre Que vacinas tomar para viajar para outro país.

Na verdade existe apenas uma que é obrigatória tomar, a de febre amarela, porém alguns países exigem doses de outros tipos de vacina também, principalmente para pessoas que vão viajar e ficar em contato com a natureza.

Uma recomendação importante da ANVISA é que, para as pessoas que pretendem viajar que não se esqueçam de tomar as respectivas vacinas, Tétano, Hepatite A e B, Tríplice viral e Difteria.

Para que você viaje com mais tranquilidade, siga essas recomendações para que não vem a ter futuros problemas.

 

Febre amarela ANVISA

O mesmo mosquito da dengue é também o que causa a febre amarela, esses mosquitos costumam se localizar na América Central e Sul, como também em outras regiões da África.

 

Que vacinas tomar para viajar para outro país

 

Para se prevenir é necessário tomar a vacina e usar métodos de proteção como, repelentes, telas ante mosquitos.

Acesse o Portal ANVISA e saiba mais detalhes.

 

Países que exigem vacina febre amarela

Atualmente são mais de 150 países que exigem as vacinas dos turistas brasileiros.

Para não tomar muito o seu tempo, não vamos colocar os 150 países aqui, porém vamos mostrar os destinos mais procurados pelos brasileiros.

Com certeza algum desses que iremos citar, vai estar em sua lista para seu próximo passeio.

Dividindo por continentes:

1- América do Sul e Central

Os únicos países que não exigem o certificado internacional de vacinação são Uruguai, Argentina e Chile pois estão fora da zona tropical.

Tirando esses, praticamente todos os países estão exigindo.

Você precisa da vacina contra a febre amarela para entrar na Colômbia, Venezuela, Bolívia, Equador, Cuba, República Dominicana, Barbados, Bahamas, Costa Rica, Jamaica, Nicarágua e Panamá.

Um detalhe, caso você faça conexão em algum país desse mencionados acima, você não vai precisar do certificado internacional de vacinação.

 

2 – América do Norte

México, Estados Unidos e Canadá não exigem a vacina contra a febre amarela, pode viajar tranquilamente.

 

3 – Europa

Nenhum país da Europa exige a vacina contra a febre amarela, pois nesses países do hemisfério Norte de clima temperado não existe o mosquito transmissor da doença.

 

Nos outros continentes Ásia, África e Oceania uma grande parte dos países exigem a vacina dos turistas brasileiros, sobretudo aqueles países que estão na zona intertropical.

O sudeste asiático como Singapura, Indonésia, Tailândia exigem a vacina dos brasileiros.

Na África praticamente todo o continente exige o certificado internacional de vacinação.

O maior país da Oceania, a Austrália também começou a exigir a vacina contra a febre amarela.

 

Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia

Como conseguir o certificado internacional de vacinação?

Primeiramente você precisa tomar a vacina no posto de saúde mais próximo da sua cidade, em alguns postos você já receberá o certificado.

Você precisa levar o documento de identidade para tomar a vacina, é grátis e não precisa marcar com antecedência.

Todos os aeroportos possuem uma sala da ANVISA, na qual você precisa apresentar sua caderneta de vacinação comprovando a vacina contra febre amarela, em seguida eles imprimem um documento para você.

Não tem custo e é sem burocracia esse documento.

Pronto, você sai de lá com o certificado de vacinação e profilaxia, agora basta seguir viagem.

 

Agora que você já sabe quais vacinas são exigidas para viajar para fora do país, basta botar o pé na estrada e seguir viagem.

Se você quiser dicas de viagem, acesse o site Lugar Magnífico e veja os melhores lugares para viajar e fazer um delicioso passeio como por exemplo, um Passeio de Balão na Capadócia no Inverno, já imaginou que delícia?

 

Esse foi nosso artigo sobre Que vacinas tomar para viajar para outro país.

 

 

Seguro viagem internacional: Tudo o que você precisa saber sobre seguro viagem internacional

Um seguro viagem internacional é como uma contratação de um plano para um veículo, imóvel ou aparelho eletrônico: serve para assegurar que, em caso de qualquer contratempo, uma solução rápida e eficiente venha de encontro ao contratante.

Seguro viagem internacional Tudo o que você precisa saber sobre seguro viagem internacional

Adicionar isso ao seu orçamento de viagem não é uma ideia totalmente fora da realidade. Até porque, se pararmos para pensar, viagens internacionais se tornam, para uma parcela da população brasileira, cada vez mais corriqueiro.

Sendo assim, nada mais justo que começar a se acostumar à ideia de um seguro viagem internacional. Por conta disso, se faz aconselhável entender todas as etapas desta contratação e os benefícios para sua experiência através do globo.

 

Melhores hotéis

 

Em viagens de lazer é comum incorporar um espírito mais aventureiro, de descobertas e exploração através dos países. Isso pode acarretar em uma pressa e uma euforia que, se for gasta com planejamentos na hora, acaba se esvaindo rapidamente.

Com um seguro viagem internacional é possível transitar pelo mundo e ter um hotel disponível em qualquer lugar que esteja. Através de sua contratação tem-se acesso a uma rede de hospedarias, casas, hotéis e albergues a disposição do cliente.

É um tipo de certeza que a contratação prévia de um plano pode dar ao cliente ao passo que o viajante não preparado teria de pesquisar através da cidade em questão, gastando preciosas horas de laser com cálculos de preço e burocracia.

Saúde e segurança

 

Outra vantagem ao se contratar um seguro viagem internacional é no quesito da saúde. Dentro do Brasil tem-se uma infinidade de planos de saúde. Desde o plano público SUS até outras opções de bandeiras, eles dão acesso a muitos hospitais, exames e tratamentos.

Entretanto, ao sair do país, a depender de seu plano de saúde, perde-se essa cobertura completamente. A menos que se esteja sob o guarda-chuva de um seguro viagem internacional.

Por meio deste é possível ter acesso a hospitais, medicamentos, exames de emergência, internações e procedimentos especiais em qualquer caso de emergência. Contratempos de saúde não são previsíveis e podem vir a qualquer momento.

Se dentro da federação estar preparado é importante, porque fora dela, em terras estrangeiras, não seria? Contratar um seguro viagem internacional é cuidar da saúde individual e da família, tendo certeza do melhor atendimento em qualquer infeliz caso emergencial.

Outro fator importante é a segurança. Malas quebradas, extraviadas, roubos dentro e fora do aeroporto e perda de documento. Isso tudo traz uma carga de stress e preocupação absurda para dentro de sua viagem. Entretanto, com a presença de um seguro viagem internacional, não mais.

Um exemplo disso é a Multi Seguros, que oferece proteção contra qualquer um desses contratempos, estando 24 horas pronta para atender. Através do site multiseguroviagem.com.br é possível contratar um plano e estar resguardado de roubos e furtos fora do território brasileiro.

Basta acionar a empresa e ela irá fazer todo o processo burocrático, além de providenciar substitutos enquanto as malas e bens originais não são recuperados/encontrados.

Com um seguro viagem internacional é possível viajar sem medo. Qualquer contratempo se tornou somente um detalhe, agora a viagem pode ser, enfim, protagonista.