Categoria: Saúde

Como usar a Hipnose para lembrar de algo?

Sim, é possível utilizar da hipnose para lembrar de algo, como ao utilizar de técnicas de regressão com a idade, onde se pode voltar no tempo. Essa regressão de idade é muito útil quando se pensa em detalhar as lembranças que estão presentes na consciência da pessoa.

Isso faz com que se traga à superfície aquelas memórias que não são lembradas de um modo consciente. Antes de começar as técnicas, é preciso pesquisar e buscar um profissional que seja devidamente habilitado em hipnose, como um médico ou psicólogo.

Importância do uso da hipnose

É muito importante ressaltar o quanto a hipnose vai servir como mais um instrumento para o tratamento. A Hipnose dá a possibilidade de reviver situações com uma alta carga emocional sem a presença de emoções que perturbem durante o período dessa técnica.

Na técnica da Hipnose para lembrar de algo, caso você tenha algum trauma profundo, e não conseguir dar a sua opinião sobre, é bem possível que durante um processo hipnótico consiga falar aquilo que está preso em sua mente. Para muitos psicólogos a Hipnose não deve ser vista como terapia, mas como uma parte dela.

Photo by MK Hamilton on Unsplash

É aconselhado fazer apenas por curiosidade

Caso a pessoa tenha intenção de testar a hipnose apenas por curiosidade, como ao ouvir falar sobre regressão e coisas do tipo, sendo que isso acontece bastante. Mas para a maior parte do consenso entre os hipnólogos, essa pode ser uma experiência bem perigosa.

Na hora que a pessoa começa a mexer com a memória, a pessoa não tem como imaginar onde isso parar. A pessoa pode ter péssimas recordações sobre o passado, e isso pode ser muito prejudicial para a sua vida daqui para a frente.

E ainda que a memória que ela se recorde não seja de um momento ruim, utilizar da hipnose para lembrar de algo, é preciso saber que a memória nunca é algo isolado. Uma memória puxa a outra e assim por diante, sendo preciso avaliar tudo o que está acontecendo e mudar o rumo do transe de acordo com o que se pode observar.

Lembrar de informações é algo muito complexo

Nas situações onde a gente estabelece uma luta como um pensamento, tudo isso se deve por conta do pensamento de querer evitar algo, apesar de trazer juntamente uma carga de que algo está sendo excluído, ainda assim algo que havia ficado esquecido no passado será trazido de volta e ficará por ao menos algum tempo à tona em suas memórias.

Algo que pode ser de grande ajuda nessa situação, quando a gente quer voltar a esquecer de algo, é aceitar aquilo do jeito que ocorreu, seja o mais difícil que isso possa ser. Além disso, é muito importante que se faça algo para tirar os pensamentos do que se quer evitar, através de uma substituição que precisa conter “energia mental”.

Pode ser desde jogos, livros, exercícios físicos, trabalhos, meditação é algo que lhe ajude a se distrair, ocupando o seu tempo. A terapia também é muito importante, mas não iremos entrar nesse tópico aqui.

Nossa memória pode falhar por uma série de motivos

Muitas pessoas também apostam na hipnose para lembrar de algo por conta de uma série de motivos que podem fazer com que a nossa memória se torne falha. Nesses casos, sempre é bom consultar um médico para saber o que de fato está ocorrendo com você.

Porém, ao que tudo indica a memória está muito ligada ao grau de concentração que uma pessoa tem. A falta de concentração, quase sempre irá lhe impedir de recordar certas coisas e nessas condições a Hipnose provavelmente será falha.

É muito importante saber o motivo que está lhe fazendo ter períodos de falta de concentração, o que pode afetar a sua memória. Pode ser desde algo que seja muito comum, mas em alguns casos pode resultar em uma patologia de alto risco.

Sendo assim, como você viu ao longo deste artigo, a Hipnose se trata de estar em um estado de comportamento onde se é influenciado a aprender algo diferente do que você de fato está acreditando. Quanto mais você se entregar durante uma sessão, mais fácil será recordar.

O que é Banquinho de cócoras?

Talvez você já tenha ouvido falar de banquinho de cócoras. Se já ouviu, deve ter ouvido falar muita coisa boa sobre. Para muitas pessoas, ele ajuda durante o movimento de evacuação, é ergonômico, deixa para trás o desconforto que muitas pessoas têm ao evacuar, além de que é bastante acessível.

Porém será que tudo isso que foi comentado, é verdade mesmo? Ao longo deste artigo, você terá a resposta para cada uma dessas perguntas.

Antes de a gente comentar sobre o que se trata o banquinho de cócoras, vamos falar um pouco sobre o que pode acontecer em um momento onde o seu intestino está preso.

O que é Intestino Preso ou estar com constipação intestinal?

O ideal é evacuar de 1 a 2x por dia, mas também se realizar 3x ao dia ou 1x a cada 3 dias, de acordo com a opinião de especialistas isso é normal. O problema ocorre quando se evacua mais de 3x ao dia, o que pode ser um sinal de diarreia ou se a pessoa não evacuar dentro de 3 dias, já pode ser um sinal de que está com o intestino preso.

A constipação intestinal ocorre quando se está com dificuldades de evacuar. Para realizar o diagnóstico, não é necessário observar a frequência com que se vai ao banheiro, embora isso seja de fato muito importante.

Também é preciso observar a qualidade com que se vai ao banheiro. Se apresentar dor, desconforto e tiver que fazer força para evacuar, como ao realizar fezes evacuadas, além da sensação de bloqueio no “reto”, isso provavelmente indicará que você está passando por um momento de constipação.

Ou seja, não existe uma frequência que indica que está sendo saudável a sua ida ao banheiro, e não significa que por ir todos os dias você está tendo problemas.

Como funciona o banquinho de cócoras?

O banquinho de cócoras funciona porque ele simula essa posição na hora em que for evacuar. É uma posição que lhe ajuda na hora de evacuar e assim cria um ângulo que é bem mais favorável e natural para o seu cólon.

Ao utilizar o banquinho de cócoras, o cólon irá ficar naturalmente mais aberto, o que irá facilitar para que seja feita a passagem das fezes, em vez de sair torcido.

O uso do banquinho de cócoras pode diminuir a força com que é necessária para se evacuar, irá melhorar a sensação de esvaziamento completo do intestino, além de diminuir o tempo que você irá gastar ao ir ao banheiro.

Além de que as pessoas ficam menos tempo no banheiro, elas sentem mais alívio por terem de fazer menos esforço. Muitas pessoas também acreditam que a posição em que se defeca influencia diretamente nos desfechos de sua saúde.

Em um estudo que foi realizado em 2019, se comprovou que as pessoas que utilizaram o banquinho de cócoras na hora de evacuar, tiveram uma menor incidência de problemas intestinais, como apendicite, prolapso retal e apendicite.

Vale a pena experimentar o banquinho de cócoras?

Até o que vimos no artigo, as pessoas tendem a estar muito mais aptas para evacuar quando elas estiverem em um banquinho de cócoras. É claro que não se trata de uma pílula mágica, que irá resolver qualquer um dos seus problemas intestinais.

Mas por outro lado, não existe nada que impeça de utilizar o banquinho de cócoras e nem que ele possa causar algum tipo de problema para a sua saúde. Ele geralmente dura por muitos anos, geralmente até mais do que cinco anos, o que mostra a sua eficiência.

O que isso significa Estimulação precoce e qual a sua importância?

Todo mundo precisa de estímulo para se desenvolver e, a partir do momento em que um bebê nasce, ele começa a receber estímulo de tudo o que está acontecendo no mundo ao seu redor. No entanto, bebês prematuros ou crianças com síndromes e atrasos neuromotores requerem um trabalho mais focado para desenvolver e atingir marcos específicos. É aqui que a estimulação precoce entra em jogo.

Estimulação infantil qual a sua importância

Os primeiros anos de vida de uma criança são fundamentais para o seu desenvolvimento neurológico, porque durante esse período, especialmente nos primeiros mil dias, as células cerebrais estão sobrecarregadas e são capazes de fazer centenas de novas conexões a cada segundo.

As sinapses cerebrais, que surgiram durante esse período, formam estruturas que influenciam a função cerebral e a capacidade de aprendizado individual ao longo da vida – essas são geradas a partir de estímulos.

De acordo com as diretrizes da UNICEF, os pilares do desenvolvimento saudável do cérebro na primeira infância são saúde, nutrição, cuidado responsivo, segurança, proteção e aprendizado. Segundo pesquisas neurocientíficas, o cérebro se desenvolve na velocidade ideal em ambientes acolhedores e estimulantes que proporcionam todos esses aspectos.

No caso de um bebê neurotípico, a estimulação seria fornecer o estímulo e o ambiente necessários para que desenvolvam suas habilidades inatas. No entanto, quando falamos de bebês com síndromes ou atrasos no desenvolvimento, a estimulação precoce torna-se essencial para o prognóstico, um processo mais direcionado, estruturado e acompanhado por equipes multidisciplinares.

Como devo acompanhar o desenvolvimento do bebê?

Cuidado responsivo significa realmente cuidar de todas as necessidades do seu bebê. Isso também significa monitorar de perto seu desenvolvimento em busca de sinais de que não estão se desenvolvendo como deveriam.

É claro que toda criança tem seu tempo, e todo processo de desenvolvimento é único e precisa ser respeitado, mas existem certos padrões que precisam ser considerados para saber quando algo está muito longe das expectativas

Haverá casos em que um atraso específico na aquisição de uma habilidade não significa muito, mas em outros pode ser uma indicação que algo está errado e deve ser monitorado de perto. Portanto, estar vigilante não é procurar pelos de ovo, é facilitar o diagnóstico precoce, que pode ser crucial para o prognóstico da criança.

Estimulação precoce: O que é?

De acordo com o folheto de diretrizes do Departamento de Saúde, a estimulação precoce é um programa de vigilância e intervenção multidisciplinar para bebês e crianças pequenas com condições de saúde que afetam adversamente o desenvolvimento neuropsicomotor.

Envolve fornecer uma variedade de estímulos que afetam no desenvolvimento motor e cognitivo das crianças de acordo com suas necessidades. Também de acordo com o folheto eles são categorizados nos seguintes protocolos:

– Estimulação auditiva

– Estimulação visual

– Estimulação da função motora

Estimulação da função manual

– Estimulação das habilidades cognitivas e sociais

Estimulação da linguagem

Estimulação da motricidade orofacial 

Além dos tratamentos conduzidos e supervisionados por profissionais multidisciplinares (como fonoaudiólogos e terapeutas ocupacionais), o envolvimento da família no processo é tão importante quanto as brincadeiras.

Dicas para estimulação precoce de 0 a 3 anos

Como mencionado acima, o protocolo de estimulação precoce é direcionado, sistemático e contínuo, devendo ser desenvolvido e aplicado por profissionais que acompanham o desenvolvimento da criança. No entanto, algumas atividades e jogos muito simples podem ser usados ​​em casa como complemento e, claro, também criar vínculos e memórias afetivas entre crianças e membros da família.

Estimulação auditiva

A participação da família no cotidiano é essencial para a estimulação auditiva, pois todos os ruídos do ambiente são um estímulo, exceto as crianças com deficiência auditiva que ainda não usam prótese auditiva.

Falar e cantar com a criança é importante para que ela melhore sua percepção sonora. Usar chocalhos ou outros brinquedos sonoros para chamar a atenção do bebê para o som também é muito eficaz.

Para as crianças mais perceptivas, é interessante incentivar atividades que representem e estimulem diferentes formas de som para distinguir, como explorando a variedade de instrumentos musicais ou contando histórias experimentando vozes mais finas, mais grossas, mais baixas ou mais altas.

Estimulação visual

Para estimular a visão, é interessante pensar na área ao redor da sua casa e no quanto ela agrega aos atrativos visuais. Incentive a criança a olhar mais de perto os objetos disponíveis e analisar suas cores, tamanhos e detalhes.

Com bebês pequenos ou mesmo crianças com deficiências mais graves, pode ser necessário trabalhar com certas imagens, como com alto contraste, para que possa captar o significado no âmbito de suas possibilidades.

Estimulação motora

A estimulação motora começa com a ativação do sistema proprioceptivo, o que significa estimular a criança a tomar consciência de seu próprio corpo e a entender onde está localizado cada membro e como ele funciona. Para isso, as experiências sensitivas e sensoriais são muito importantes, e isso vai desde o toque dos próprios pais até jogos mais sofisticados.

A partir daí, as habilidades psicomotoras também devem ser estimuladas, envolvendo o aprimoramento dos movimentos corporais e a compreensão, como, encaixá-los melhor no tempo e no espaço. Deixar o bebê explorar o ambiente, focar sua atenção no engatinhar ou engatinhar atrás, e até mesmo proporcionar às crianças atividades que exijam mais movimento é essencial nesse processo.

Estimulação manual

A estimulação manual pode ser realizada por meio de jogos sensoriais que convidam a criança a explorar com as mãos. Desenhar com os dedos ou vasculhar uma vagem de feijão são algumas das ideias.

Despertar a atenção do bebê para se sentir atraído por objetos e treinar para segurá-los também faz parte desse processo, assim como sentir a apresentação de diferentes texturas com o dedo e melhorar a percepção.

Estimulação cognitivo-social

Para estimular a criança nas áreas cognitivo-sociais, a cartilha de estimulação precoce sugere metas e atividades para cada faixa etária.

No primeiro ano de vida, por exemplo, a criança precisa desenvolver o conhecimento da autoimagem e os vínculos afetivos com as pessoas mais próximas a ele. Ela também deve mostrar conhecimento de seu entorno e demonstrar percepção sensorial.

As próprias atividades cotidianas são ferramentas perfeitas para desenvolver essas habilidades. É recomendável conversar com a criança desde o nascimento, não apenas para ajudá-la a criar laços e aprender a reconhecer (e até acalmar) a voz de seus pais, mas também para informá-la sobre o mundo ao seu redor e obter mais informações sobre ele.

À medida que desenvolve e adquire mais habilidades, jogos e desafios compartilhados que a convidam a sair do comum e praticar o pensamento também são muito interessantes: a imaginação e a criação de histórias em grupo estimulam a imaginação, além de imitar movimentos ou encontrar um objeto perdido por meio de pistas fornece treinamento cognitivo intensivo.

Estimulação da linguagem

O desenvolvimento da linguagem é muito mais do que apenas aprender a falar, mas entender como se comunicar de diferentes maneiras em diferentes estágios cognitivos e até situações. A criança aprende que seu choro se comunica, passa pelas primeiras conversas, sinais e depois desenvolve a criação de conceitos mentais relacionados ao som das palavras.

A estimulação da linguagem está intimamente relacionada ao desenvolvimento auditivo. Portanto, atitudes como conversar com o bebê, apresentar o mundo ao seu redor nomeando objetos, incentivar formas alternativas de comunicação como a linguagem de sinais e, claro, fazer um esforço para entendê-lo quando ele está se comunicando são altamente recomendados.

Estimulação orofacial

A motricidade orofacial está relacionada aos músculos do nosso corpo que estão envolvidos nas atividades orais e, portanto, estão ligados tanto à alimentação quanto à linguagem. A estimulação precoce desta área, portanto, ativa e fortalece as estruturas orais, chama a atenção do bebê para a região e estimula o movimento.

Recursos terapêuticos

Os recursos terapêuticos são ferramentas que podem ser utilizadas como complementos de processos de estimulação precoce e reabilitação e auxiliam na melhora da funcionalidade e da qualidade de vida de pacientes com dificuldades motoras.

O Amigo Panda é um e-commerce de recursos terapêuticos infantis desenvolvidos com base na terapia ocupacional. Conheça alguns dos produtos de estimulação:

Conjunto sensorial compressivo

As vestes compressivas do Amigo Panda são produzidas sob medida e atuam ativando o sistema proprioceptivo da criança por meio de uma compressão que exerce a contração muscular e aciona os receptores sensoriais.

Com o sistema proprioceptivo ativado, a criança se sente mais segura e com maior capacidade de organização corporal e concentração.

Escova vibratória Z-Vibe

A Z-Vibe é uma ferramenta vibratória oral que pode ser utilizada para fornecer variados estímulos sensoriais dentro da boca, de forma livre ou direcionada. Sua vibração ajuda a chamar a atenção da criança para exercitar seus músculos orais, o que ajuda no fortalecimento do tônus mandibular.

Esponja sensorial

A esponja sensorial é uma ferramenta de estimulação para crianças com defensividade tátil ou proprioceptiva e faz parte do protocolo de Wilbarger, muito recomendado para crianças com disfunções sensoriais.

Simples e poderosa, a esponja é utilizada tanto no lado macio quanto no lado das cerdas e serve para massagear e chamar a atenção da criança para diversas partes do corpo, para ajudar no treino da organização corporal e na autorregulação.

Lembramos que, para entender melhor quais são os recursos mais indicados para o caso de cada criança e qual é a melhor forma de uso, é importante contar, sempre, com o respaldo profissional dos médicos e terapeutas que acompanham o seu filho!

Óleos essenciais e óleos vegetais, o que são e como eles diferem?

Os óleos essenciais e os óleos vegetais são dois clássicos da cosmética natural. Os benefícios proporcionados pelos ingredientes de origem natural, aliados à preocupação com o meio ambiente, contribuíram para que esses produtos fossem conhecidos no setor cosmético.

Você também pode se interessar pelo oleo de rosa mosqueta 100 puro, um oleo essencial que pode te ajudar a rejuvenescer a pele e deixar ela com mais saúde.

O que são óleos vegetais?

Os óleos vegetais caracterizam-se por serem obtidos por prensagem a frio das sementes ou frutos de plantas. Ao contrário dos óleos essenciais, os óleos vegetais possuem uma alta concentração de ácidos graxos essenciais e antioxidantes. Proporcionando assim inúmeros benefícios reais para a pele e cabelos.

No caso do óleo vegetal, não é necessário diluí-lo com outro óleo ou água, pois pode ser aplicado diretamente no cabelo ou na pele para hidratar, nutrir, proteger ou reparar.

Atualmente, os óleos vegetais estão ganhando espaço nas necessaires e penteadeiras de muitas pessoas. E foi demonstrado o quanto são benéficos para os cuidados faciais, corporais e capilares.

Óleos essenciais, para que servem?

Você sabia que os óleos essenciais nasceram há milhares de anos? Daí a sua grande fama no mundo da cosmética. E é que nossos ancestrais já os usavam como remédios caseiros para tratar doenças. Mas hoje, os óleos essenciais ainda estão na moda!

Estes nada mais são do que extratos voláteis concentrados, extraídos diretamente das plantas, que se caracterizam por seus aromas intensos e incríveis propriedades terapêuticas . Além disso, sua natureza lipofílica faz com que penetre facilmente nas camadas mais profundas da pele.

Ao contrário da crença popular, o óleo essencial natural não contém ácidos graxos, pois o que se extrai é a essência da planta. Para isso, o método utilizado é a destilação dos ramos, folhas ou flores. Portanto, é um processo não químico, que ajuda a manter todas as propriedades intactas.

Quanto à sua aplicação, é muito simples. Por serem produtos altamente concentrados, devem sempre ser utilizados diluídos com outro óleo vegetal ou água . Nunca aplique diretamente na pele. Além disso, no caso de gestantes ou durante a lactação, seu uso é totalmente desencorajado.

Atualmente, os óleos essenciais são muito comuns no mundo da aromaterapia. O objetivo é equilibrar a mente e o corpo. Dependendo do tipo de óleo essencial utilizado, falaremos de algumas propriedades ou outras: calmante, analgésica, anti-inflamatória, estimulante, regeneradora, tonificante ou bactericida.

Como os óleos vegetais e os óleos essenciais são semelhantes?

Tanto o óleo vegetal quanto o óleo essencial vêm de uma planta. Por isso, proporcionam benefícios naturais, reais e eficazes à pele e aos cabelos. E o melhor é que você pode misturá-los para obter melhores resultados.

Óleos vegetais e óleos essenciais: descubra suas diferenças

A principal diferença é sua composição, já que o óleo vegetal se destaca pela alta concentração de ácidos graxos enquanto o óleo essencial contém moléculas aromáticas.

A segunda diferença mais notável é a forma de extração. Os óleos vegetais são obtidos por prensagem a frio de frutas, sementes ou flores. Por outro lado, para os óleos essenciais, utiliza-se a destilação de ramos, caules ou folhas.

Por fim, a forma de aplicação também varia de um para outro. Os óleos vegetais podem ser aplicados diretamente na pele e podem ser usados ​​por gestantes. Por sua vez, os óleos essenciais devem ser misturados com outro óleo para seu uso. E também, mulheres grávidas e crianças não podem usá-los.

Maneiras insalubres de perder peso

Se você está procurando perder peso , você já deve ter se deparado com ‘dietas da moda’ que prometem ajudá-lo a perder peso em apenas algumas semanas, ou você pode pensar que passar fome é a chave para perder peso rapidamente – nós Estamos aqui para destacar os métodos de perda de peso que são ruins para sua saúde, para que você possa perder peso com segurança e eficácia.

Conhece orlistat? Confira agora mesmo para saber mais sobre perda de peso.

Quando você decide que quer emagrecer, pode querer obter resultados o mais rápido possível e recorrer a maneiras não saudáveis ​​de perder peso, mas aqui está o que você precisa evitar:

1. Pular refeições 

Pular refeições não é uma maneira eficaz de perder peso. Quando você pula uma refeição, pode ficar cansado, perder nutrientes essenciais, sentir baixo humor ou ser tentado a recorrer a alimentos ricos em gordura e açúcar quando decidir comer, o que levará ao ganho de peso.

2. Cortar certos grupos de alimentos

Os carboidratos são um grupo de alimentos comum para as pessoas cortarem na tentativa de perder alguns quilos, mas é importante lembrar que todos os grupos de alimentos contêm nutrientes importantes que nosso corpo precisa. Não se trata de eliminar grupos de alimentos, trata-se de obter o equilíbrio certo.

3. Beber apenas shakes para emagrecer

Shakes de proteína podem ser ótimos para o café da manhã ou almoço, nos dando energia para o dia seguinte, mas você não pode confiar apenas neles. Além disso, você precisa estar ciente de que existem ‘shakes de dieta’ por aí que não são medicamente aprovados e visam apenas a perda de peso da água. Se você ficar com esses shakes por tempo suficiente, quando voltar a comer alimentos sólidos, poderá voltar a acumular peso. Lembre-se, não existe um shake mágico ou pílula que transforma você da noite para o dia – se houvesse, todo mundo estaria tomando!

4. Excesso de exercícios 

Ser mais ativo certamente é benéfico se você estiver tentando perder peso, mas precisa saber quando parar. A chave para qualquer plano de perda de peso bem sucedido é fazer pequenas mudanças que podem ser sustentadas; se você está se esgotando com regimes de condicionamento físico intensos, é provável que chegue a um ponto de ruptura. De acordo com o NHS , os adultos precisam de pelo menos 150 minutos de atividade física por semana e você precisa se exercitar mais do que isso se quiser perder peso.

Quando você treina, suas fibras musculares são quebradas, mas seu corpo as repara e as reconstrói, tornando-as mais fortes. Para que seu corpo faça isso com sucesso, você precisa de descanso, sono e nutrição suficientes; excesso de exercício irá impedir que seu corpo seja capaz de reparar e reconstruir seus músculos. Para determinar se você está se exercitando demais, observe se você está:

Ganhar peso – Se você está se exercitando demais, seu corpo estará em um estado de estresse crônico. Quando estamos estressados, nossos corpos produzem e liberam cortisol (o hormônio do estresse) que pode afetar seu metabolismo e levar ao ganho de peso.

Tornando-se mais fraco – se você não permitir que seu corpo se recupere, você ficará mais fraco, pois seus músculos são incapazes de reparar e reconstruir.

Sentir os músculos muito doloridos – é normal sentir dores alguns dias após o treino, mas se você se sentir dolorido por longos períodos de tempo, isso é um sinal de que seu corpo não se recuperou totalmente e você pode até se machucar.

Ver um efeito negativo em sua saúde mental – embora o exercício seja saudado como uma ótima maneira de melhorar sua saúde mental e aliviar o estresse, muito dele pode ter o efeito oposto e você pode perceber que está se sentindo mais ansioso, deprimido, temperado e experimentando outras emoções negativas.

Não dormir bem – a maioria dos adultos precisa de seis a nove horas de sono por noite ( NHS ) e precisa tentar ser consistente com suas horas de sono. Se você se exercita muito ou muito perto da hora de dormir, pode ter dificuldades para dormir e não conseguir um descanso de qualidade.

Frequentemente se machucando – se você está se exercitando demais, está treinando músculos fracos ou danificados, o que o deixa vulnerável a sofrer mais lesões (como esticar os músculos ou piorar uma lesão existente).

Sentir-se viciado em exercício – se você sente que está ficando obcecado com o exercício, isso é um sinal de que você pode estar fazendo muito. Se você está preocupado em ser viciado em exercícios e os efeitos que isso pode ter na sua saúde, fale com um profissional de saúde para obter conselhos.

Experimentar alterações na sua frequência cardíaca – sua frequência cardíaca em repouso pode ser afetada por muito exercício. Embora seja normal ter uma frequência cardíaca aumentada durante a atividade física, se você está simplesmente sentado no sofá e sente seu coração batendo, isso pode indicar que você está se exercitando demais.

Sentindo-se exausto – se você está se sentindo mais cansado do que o habitual e com fadiga, pode estar esgotado de todo esse exercício e precisar de uma pausa.

5. Treinar com o estômago vazio

Quando seu corpo precisa de energia para suas atividades, ele pode quebrar sua massa muscular magra e convertê-la em glicose para obter energia se você não estiver comendo o suficiente. Além disso, exercitar-se sem comer pode fazer com que você se sinta fraco durante o treino e possa sofrer uma lesão.

6. Ser muito restritivo

Se você é muito rigoroso consigo mesmo quando se trata de comer (ou seja, não posso nem cheirar chocolate!), você pode ficar mais tentado a quebrar as ‘regras’ que você mesmo estabeleceu. Além disso, se você quebrar uma de suas ‘regras’, você pode ser muito duro consigo mesmo e desistir de seu progresso na perda de peso inteiramente com a impressão de que falhou. Seja gentil consigo mesmo e seja realista – pergunte a si mesmo se você poderia manter seus hábitos alimentares atuais e, se a resposta for não, você deve pensar em comer conscientemente e não estritamente.

7. Aderindo a uma dieta líquida

Consumir alimentos na forma líquida pura, sejam sopas ou sucos, não é uma maneira sustentável e de longo prazo de perder peso. Muitas sopas também são ricas em sódio, o que pode aumentar sua pressão arterial e você pode estar comendo menos em termos de calorias, o que pode levar a seus próprios problemas (cobriremos isso mais tarde).

8. Tomar suplementos sem aprovação médica

Existem muitos suplementos alimentares por aí, todos prometendo grandes coisas – mas nem todos são seguros ou eficazes para perda de peso. Se você estiver procurando suplementos para ajudar a perder peso, consulte seu médico ou um profissional de saúde, pois muitos suplementos para perda de peso não prescritos podem conter ingredientes que podem prejudicar sua saúde.

9. Comer mal ou passar fome

Comer demais pode impedir que seu corpo funcione normalmente, o que pode afetar seu humor e níveis de energia. Enquanto você pode estar perdendo peso por comer pouco, você também estará perdendo músculo e seu metabolismo (que é o que ajuda você a queimar calorias) diminuirá.

Dietas radicais e não obter os nutrientes e calorias de que você precisa todos os dias provavelmente não levarão à perda de peso a longo prazo e podem realmente atrapalhar seus esforços. Além de ser incrivelmente difícil de manter, comer pouco e passar fome pode fazer com que seu corpo armazene calorias como gordura. Não é aconselhável que as pessoas consumam menos de 1.200 calorias por dia, a menos que sejam supervisionadas por um médico, pois você pode lutar para obter o suficiente dos nutrientes essenciais que seu corpo precisa.

10. Seguindo um plano de limpeza ou desintoxicação

Semelhante aos suplementos, há muitas promessas de perda de peso feitas com produtos de desintoxicação e limpeza. Esses produtos podem apresentar riscos ao nosso corpo, incluindo desidratação, pois muitas dessas ‘limpezas’ causam perda de peso devido à água e ao peso das fezes. É muito mais sustentável e seguro simplesmente estar atento ao que você está comendo e bebendo bastante água todos os dias.

ISTs podem afetar a saúde da boca?

Você já ouviu falar em ISTs? Essas infecções ultimamente tem ocupado o centro de diversas discussões relacionadas à saúde bucal.

Isso porque, poucas pessoas conhecem esse tipo de infecção que pode ser adquirida através do sexo sem proteção.

Vale pontuar que, de acordo com uma pesquisa realizada pelo Ministério da Saúde em 2017, mostra que quase metade dos jovens entre 15 e 24 anos não usam camisinha. Apenas 56,6% dos entrevistados dentro dessa faixa etária procuram utilizar essa proteção.

Portanto, confira a seguir o que é ISTs e entenda a seriedade desse tipo de infecção que pode ser evitado através de um sexo seguro.

Caso tenha alguma suspeita sobre sintomas que serão revelados, procure o quanto antes um consultório dentista.

O que são ISTs?

Doenças como AIDS, sífilis, herpes genitais, HPV, Hepatite (A,B e C) e gonorreia são conhecidas por serem doenças sexualmente transmissíveis. 

Entretanto, essas mesmas infecções também podem ser passadas através de sexo oral, representando então um ISTs (infecções sexualmente transmissíveis), sigla recentemente adotada para substituit o termo DST.

Portanto, essas infecções, ao se espalharem pela região da boca, podem trazer muitos problemas. 

Vale dizer que o principal meio de transmissão na boca se dá no contato de líquidos corporais. Dessa forma, na maioria das vezes, quando a pessoa tem úlceras na boca, esses líquidos do parceiro infectado acabam contaminando a região oral.

Assim, em caso de ter relação sexual oral de forma desprevenida com aftas e úlceras é importante procurar um dentista urgente.

Como ISTs podem afetar a região bucal?

Quando esses males são contraídos pela região da boca, há sérios riscos de manifestações das doenças por todo o organismo, mas não só isso.

Isso porque, uma IST pode acabar causando problemas como gengivite e cárie dentária profunda, podendo aumentar o risco de contágio em consultórios odontológicos na hora de uma extração ou procedimento odontológico.

Os sintomas mais comuns de ISTs na boca são:

  • Manchas ou placas brancas;
  • Feridas na boca, dolorosas ou não;
  • Feridas na pele ao redor da boca;
  • Orofaringe avermelhada;
  • Dor ao engolir;
  • Placas brancas nas amígdalas, semelhantes à amigdalite;
  • Secreções branco-amareladas.

Além desses sintomas, há outros que podem aparecer como as aftas. Vale ressaltar que o sintoma causado irá depender da doença que foi adquirida. 

Desta forma, normalmente, uma IST oral acaba não se manifestando tão perceptivelmente. É importante conscientizar-se de sempre cuidar e acompanhar a sua saúde bucal, com visitas regulares ao dentista, assim como sempre fazer sexo de forma segura. 

Dor de dente foto criado por stockking – br.freepik.com

Conheça as doenças mais comuns

Uma vez adquirida, a ISTs pode ocasionar em doenças como:

  1. Herpes labial

O herpes é a IST oral mais comum e atinge mais da metade da população adulta. Vale pontuar que muitos contraem a doença ainda crianças ao serem beijados por familiares.

Essa doença pode causar bolhas na boca que variam de cor, tamanho e sensibilidade (dor). 

Entretanto, essas bolhas podem cicatrizar entre 7 a 10 dias, mas podem surgir inesperadamente, quando a imunidade abaixa bruscamente. 

  1. Vírus Epstein-Barr (EBV)

Esse vírus é transmitido através do contato com fluidos corporais, como a saliva através do beijo, ou até mesmo o sexo oral.

Os sintomas da EBV são mononucleose ou desenvolvimento de leucoplasia pilosa bucal, que se assemelha com candidíase oral (sapinho). Além disso, ele pode acarretar em manchas brancas na boca que causam dor e não podem ser facilmente removidas. 

  1. Citomegalovírus (CMV)

O CVM é outro vírus que infecta muitos adultos, a maioria deles com mais de 40 anos. Esse vírus pode ser sexualmente transmitido, mas também pode ser transmitido por contato com fluidos como a urina, saliva, lágrimas e leite materno. 

Em suma, esse vírus pode causar úlceras na mucosa bucal.

Caso você manifeste este vírus e faça o uso de próteses é extremamente importante procurar um dentista especialista em prótese.

Prevenção

A prevenção dessas e de outras possíveis infecções na boca baseia-se na manutenção da saúde bucal.

No caso das ISTs, a melhor prevenção é fazer sexo seguro, utilizando a camisinha, tanto para práticas de sexo convêncional, como no sexo oral. 

Além disso, antes de ter relações sexuais, cheque se o seu parceiro é infectado com algum vírus ou doença. Vale lembrar que muitas doenças podem ser transmitidas pelo beijo.

Além disso, faça visitas regulares ao dentista ou a uma clínica de implante dentário. Isso porque, o papel do dentista é extremamente crucial.

Apenas um profissional poderá dar o diagnóstico e passar o tratamento adequado para as dores e sintomas adequados.

Conteúdo desenvolvido pela equipe do Status Fit Center, blog criado com o intuito de melhorar a saúde e o bem-estar por meio de conteúdos que reforçam a importância dos cuidados regulares.

Orlistat para perda de peso: tudo o que você precisa saber sobre isso

Nos casos em que a obesidade é mais do que evidente, existem alguns medicamentos conhecidos por controlar o excesso de calorias que são absorvidas. Um desses medicamentos é o orlistat, substância descoberta a partir de um fungo que é capaz de impedir a aquisição de até 30% das gorduras ingeridas.

No entanto, como todos os medicamentos que afetam nossa fisiologia, o orlistat tem suas considerações e consequências. Embora não precise ser perigoso, exceto em certas situações específicas, ainda é uma droga e não deve ser usada levemente com o único objetivo de perder peso , sem qualquer outra consideração.

O que é Orlistato?

A versão comercial da tetrahidrolipstatina, uma enzima de um fungo chamada Streptomyces toxytricini , é conhecida por esse nome . Essa enzima é uma lipostatina, substância capaz de inibir a ação da lipase do fígado. Este órgão produz esta enzima para processar as gorduras alimentares A única maneira de absorvê-los é “quebrá-los” para que o intestino possa transportá-los.

Ao bloquear a ação dessas lipases, as gorduras “saem à medida que entram”, ou seja, são defecadas, pois não podem ser absorvidas. Isso nos permite reduzir a ingestão de lipídios e, com isso, as calorias que consumimos. Orlistat é tomado em forma de comprimido, na hora das refeições (ou um pouco antes), para exercer seu efeito no fígado.

Apenas parte da lipostatina entra no sistema, atuando na lipase. Estima-se que apenas 30% das gorduras ingeridas são “ignoradas” pelo sistema digestivo. Estes, como dissemos, saem com as fezes, dando-lhes uma consistência gordurosa, não firme e untuosa .

Orlistat pode ser comprado em farmácias sem receita médica. Devido à sua forte interação com o fígado, é um medicamento recomendado apenas em caso de obesidade e problemas graves de sobrepeso. Também tem efeitos sobre outros medicamentos, como antibióticos lipossolúveis, e ainda não foram descritos efeitos no caso de gravidez, portanto, recomenda-se cautela.

Como funciona a tetrahidrolipstatina?

Como dissemos, o fígado secreta uma enzima conhecida como lipase. Isso tem várias funções relacionadas às gorduras. Primeiro, é responsável pelo processamento de fosfolipídios e triglicerídeos, que são o transporte natural de gorduras no corpo (as gorduras não viajam sozinhas e livres). Além disso, é responsável por atuar como ligante, ou seja, como “auxiliar” na formação do colesterol.

São as moléculas de colesterol que capturam esses lipídios e os movem de um lado para outro do corpo . A lipase hepática está relacionada com a regulação da quantidade de lípidos no organismo. Orlistat, ao inibir esta enzima, significa que as gorduras da digestão não podem ser “recuperadas” pelas vilosidades intestinais.

Desta forma, a gordura continua sua jornada no intestino, dando ao material digerido uma enorme quantidade de matéria oleosa e inconsistente. Ao mesmo tempo, essa matéria, como não é absorvida, não passa para nossas reservas de gordura, portanto não conta como calorias ganhas, é claro.

Quais são as consequências de tomar Orlistat?

Em primeiro lugar, insistimos, este medicamento é recomendado apenas em caso de obesidade. Devemos consultar nosso médico antes de comprar o medicamento e começar a fazer testes inúteis. Por exemplo, estudos mostram que, embora você possa perder peso com o medicamento, você o recupera alguns meses após a interrupção. Isso está obviamente relacionado à dieta e adesão. Mas, além do possível efeito rebote, há outras consequências imediatas.

A primeira e mais irritante é, sem dúvida, a incontinência. Especialmente durante as semanas iniciais, recomenda-se que as pessoas que usam a droga usem roupas escuras. Isso ocorre porque o fluido digestivo se torna muito gorduroso e líquido, e os esfíncteres raramente podem contê-lo. Também causa ataques de flatulência e outros distúrbios digestivos devido à gordura acumulada.

Por outro lado, uma das consequências do Orlistat pode ser a má absorção. Existem muitos componentes lipossolúveis, incluindo muitas vitaminas. Estes não são bem absorvidos e, a médio ou longo prazo, pode causar um problema nutricional . O mesmo acontece com alguns medicamentos, com os quais pode haver um antagonismo (uma ação contrária uma à outra) ou uma interação adversa. Por exemplo, isso ocorre com alguns antibióticos, como cefalosporinas.

A tetrahidrolipstatina também pode causar uma reação adversa no estômago devido ao excesso de gordura, que pode terminar em gastroenterite aguda. Se você sofre de insuficiência hepática ou hipovolemia (má circulação orgânica, neste caso do fígado), também não é recomendado usá-lo, pois pode ter consequências drásticas.

Em suma, este produto só deve ser utilizado em determinadas circunstâncias específicas e sob supervisão médica . Caso contrário, devido à sua ação, podemos nos deparar com um problema imprevisto que termina em uma séria consequência para a saúde. Por fim, lembremos que não existem métodos mágicos para perder peso. Todas as rotas “rápidas” terminam no mesmo ponto: o efeito rebote. A única forma (e saudável) de perder peso é através de uma genuína mudança de comportamento, baseada na adesão.

Conheça os Melhores Planos de Saúde de 2022

Como já dizia o velho ditado popular, “com a saúde não se brinca”. Justamente por isso, é muito importante escolher uma seguradora que ofereça boas coberturas. Porém, saber qual melhor plano de saúde nem sempre é uma tarefa fácil. Assim, para encontrar a empresa com melhor proposta para seu bolso — e sua saúde —, é fundamental pesquisar.

Nesse contexto, é válido ressaltar também que, apesar de a maioria dos planos oferecerem serviços com preços acessíveis, em muitos casos, a rede credenciada pode não atender as necessidades dos segurados. Sendo assim, considerando a região onde vive, muitos desses planos podem ser incompatíveis com um atendimento de qualidade.

Portanto, se quer saber como encontrar um serviço de saúde que esteja alinhado às suas necessidades individuais, veio ao lugar certo. Confira, abaixo, mais detalhes sobre o assunto e veja uma comparação entre planos de saúde!

Como escolher o melhor plano de saúde?

Descobrir qual melhor plano de saúde pode, às vezes, ser uma situação circunstancial. No entanto, um bom parâmetro para definir os serviços de qualidade passa diretamente pela análise dos serviços que são cobertos. Em regra, quanto maior a sua rede credenciada, bem como os procedimentos cobertos, melhor será para o consumidor.

Contudo, outros fatores também devem ser colocados em pauta, como custo-benefício, qualidade do atendimento das operadoras, entre outros. Normalmente, os melhores planos de saúde contam com excelentes clínicas e hospitais em sua rede de parceiros, além de ter também profissionais extremamente qualificados.

Sendo assim, basta verificar, durante suas análises, as condições em que os serviços de saúde são oferecidos. Afinal, contar com um bom plano de saúde é fundamental para ter tanto maior segurança, quanto agilidade na hora em que a assistência médica se fizer necessária.

Em síntese, para descobrir qual melhor plano de saúde, uma boa dica é avaliar os seguintes aspectos:

  • analise as coberturas presentes em cada plano;
  • reflita sobre as suas necessidades ou de sua família;
  • avalie todas as seguradoras ao seu alcance;
  • investigue os profissionais, bem como as redes credenciadas;
  • veja a disponibilidade de solicitar reembolso; e
  • explore as opções de coberturas extras.

Qual o melhor plano de saúde?

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), em pesquisa de ocorrências reportadas ao Reclame Aqui — site brasileiro de reclamações contra empresas — elaborou uma lista com os melhores planos de saúde para 2022. Abaixo, confira os principais deles:

1. Unimed

A rede de hospitais Unimed oferece uma ampla gama de convênios e serviços assistenciais para os seus segurados. Dentre outros, a empresa — que é referência em atendimento médico no país —, conta com serviços de atenção domiciliar, cuidados oncológicos, farmácia e acompanhamento à gestante.

Como diferencial, os planos de saúde Unimed oferecem serviço de transporte aéreo e permite, adicionalmente, que os dependentes do plano de saúde possam se beneficiar de todas as vantagens, ainda que o titular venha a falecer. Porém, atualmente o prazo para tal serviço é de cinco anos (contados a partir do falecimento do segurado titular).

2. Amil

Presente no mercado há quase 30 anos, a Amil é uma empresa especializada em serviços de assistência médica e tem, como destaque, o excelente desempenho administrativo e operacional em relação à gestão dos seus produtos.

Com uma ampla cobertura de abrangência nacional, a Amil também oferece coberturas internacionais, seja para planos empresariais ou individuais. Independentemente do gênero, o interessado pode contar com uma ampla cobertura, desde serviços clínicos médicos até odontológicos.

3. Porto Seguro

Presente no mercado de planos de saúde há mais de 70 anos, o Porto Seguro Saúde é uma operadora focada em planos coletivos e empresariais. Sua nota 7.6 na ANS e 7.7 no Reclame Aqui coloca a empresa como uma das principais operadoras em atividade no Brasil.

Comparação entre os principais planos de saúde

Agora que você já sabe que os melhores planos de saúde em 2022 são Unimed, Amil e Porto Seguro, confira, em detalhes, esses produtos:

Nome Unimed Amil Porto Seguro
Diferenciais Ideal para diferentes perfis Excelente custo-benefício Completo para empresas
Cobertura Ambulatorial, hospitalar ou ambos (com e sem obstetrícia) Não informado Ambulatorial + hospitalar com obstetrícia
Tipo de Contrato Individual ou familiar, empresarial e por adesão Individual ou familiar, empresarial e por adesão Empresarial e por adesão
Abrangência Nacional e regional Nacional ou regional Nacional
Reembolso Sim (para algumas opções) Sim Sim
Nota ANS 1/1 0,82/1 0,79/1
Nota RA 6,6/10 6,9/10 7,3/10

Fonte: ANS (atualizado em 01/2022)

Conclusão

Diferentemente do que algumas pessoas possam imaginar, ter um plano de saúde é bastante acessível e vantajoso, tendo em vista os benefícios que oferece. Embora fora da realidade financeira de muitas pessoas, é possível ter um plano de saúde que se adequa a diferentes perfis, basta pesquisar para encontrar qual melhor plano de saúde disponível.

 

 

Como Escolher a melhor Clínica de Reprodução

É cada vez mais comum ter que ir a uma clínica de reprodução assistida. Seja porque um casal tem problemas de fertilidade (aproximadamente 15%) ou porque optou pela maternidade sem companheiro ou com companheira , surge a necessidade de ir a uma clínica de fertilidade para realizar o seu sonho.

Você também deve ter em mente que pode precisar de uma clínica de fertilidade não apenas porque tem problemas para engravidar. Pode ser necessário porque em algum momento tomamos a decisão de manter nossos oócitos , porque decidimos adiar a maternidade ou por recomendação médica.

É nesse momento que nos fazemos a grande pergunta: Qual clínica de fertilidade devo escolher? A resposta mais lógica é: o melhor. Mas qual é a melhor clínica de reprodução assistida para mim? Depende das circunstâncias de cada um, embora haja uma série de fatores que devemos considerar ao escolhê-lo.

Você pode orçar um tratamento na melhor clinica de reprodução humana | Aproveite.

Seis razões para escolher uma clínica de reprodução assistida.

Aqui estão sete fatores que você deve considerar ao escolher sua clínica de fertilidade.

1- Tratamentos e instalações disponíveis

Idealmente, a clínica escolhida pode nos oferecer um tratamento completo. Ou seja, possui todas as técnicas de diagnóstico necessárias, bem como laboratório próprio e salas de cirurgia.

2- Equipe profissional

Além de uma excelente formação, neste tipo de clínica é muito importante que a equipa de profissionais seja simpática, compreensiva e acessível . É necessário que eles nos expliquem qual é o nosso problema e o tratamento que devemos seguir detalhadamente e com total clareza.

Outro fator importante é que recebemos um atendimento totalmente personalizado , portanto o mesmo médico é quem deve acompanhar todo o nosso tratamento.

3- Horários

É aconselhável que o centro tenha uma agenda ampla , pois não sabemos quantas vezes teremos que ir. Se o horário for de manhã e à tarde, ou ininterrupto, será mais fácil combiná-lo com o nosso dia-a-dia.

Além disso,   você deve contar com um serviço de emergência 24 horas para sanar eventuais dúvidas ou solucionar problemas que possam surgir ao longo do processo.

4- Taxas de sucesso

É um facto a ter em conta mas não devemos ficar obcecados com este aspecto , pois depende de vários fatores. O que devemos prestar atenção é que seja um centro que tenha certificados e reconhecimentos oficiais de qualidade.

5- Localização

A localização é algo que normalmente descuramos porque procuramos “o melhor” ou o mais conhecido, mas é um fator que deve ser tido em conta.

No momento em que tomamos a decisão de ir a uma clínica de reprodução assistida, não sabemos quanto tempo levará o processo. É possível que tenhamos sorte e que em pouco tempo tenhamos alcançado nosso objetivo. Mas também pode ser prolongado no tempo um pouco mais do que gostaríamos. Teremos que viajar para realizar exames diagnósticos, análises e controles hormonais, controles de ultrassom, coleta de amostras de sêmen, punções foliculares, transferências de embriões … nos beneficiará.

6- Preço

Os tratamentos de fertilidade podem representar um esforço económico significativo, pelo que podemos solicitar vários orçamentos e compará-los. É importante que a clínica de reprodução assistida nos forneça um orçamento detalhado para o tratamento . Eles devem nos explicar o que está incluso e o que não está para que possamos ter uma ideia mais próxima possível de quanto podemos investir no tratamento.

Algumas clínicas possuem mecanismos de financiamento , que facilitam o acesso a esse tipo de tratamento.

Em suma, escolher com critério e não ter dúvidas sobre as informações fornecidas pela clínica é fundamental.

 

Gerenciando medicamentos para saúde mental

É importante lembrar que os medicamentos não curam as condições de saúde mental. Eles podem fazer seus sintomas de doença mental desaparecerem ou afetá-lo menos, mas se você parar de tomá-los, seus sintomas podem voltar. Se algo sobre sua medicação de saúde mental o incomoda, é importante que você converse com seu médico ou conselheiro sobre isso antes de parar de tomar qualquer medicação, pois a interrupção repentina da medicação pode causar efeitos colaterais indesejados.

Precisa de medicamentos para seus tratamentos? Confira farmacia de manipulação.

Tipos de medicamentos para saúde mental

Existem seis tipos principais de medicamentos para a saúde mental:

  • antidepressivos – usados ​​para tratar depressão, ansiedade e alguns tipos de transtornos de personalidade
  • antipsicóticos – usados ​​para tratar esquizofrenia e, às vezes, transtorno bipolar e para ajudar a restaurar o equilíbrio químico do cérebro
  • estabilizadores de humor – frequentemente usados ​​para tratar pessoas com transtorno bipolar
  • depressores – usados ​​para ajudar as pessoas a se tornarem ou permanecerem calmas.
  • ansiolíticos – frequentemente usados ​​para tratar transtornos de ansiedade
  • estimulantes – usados ​​para tratar o transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH)

Quanto tempo levará para que os medicamentos de saúde mental funcionem

Estimulantes e ansiolíticos começam a funcionar rapidamente – dentro de algumas horas ou até menos. Eles permanecem em seu corpo por um tempo relativamente curto.

Os medicamentos antidepressivos costumam levar cerca de duas semanas para você sentir os benefícios. Pergunte ao seu médico ou farmacêutico para obter mais informações ou consulte as fichas de informações sobre medicamentos agora disponíveis on-line para obter mais detalhes. Os efeitos dos medicamentos podem variar para diferentes pessoas, dependendo do tamanho do corpo e do metabolismo. O seu médico irá querer vê-lo duas ou três semanas depois de começar a tomá-los para verificar se estão a ter impacto na sua doença.

Os antipsicóticos levam entre seis semanas e até alguns meses para que seus efeitos completos funcionem. Se lhe forem prescritos antipsicóticos, o seu médico irá querer vê-lo regularmente para verificar como está a passar.

É importante ser honesto e aberto com seu médico sobre como você se sentiu desde o início da medicação. Você pode se sentir tímido ou envergonhado de dizer a eles coisas pessoais para fazer com suas emoções e seu corpo, mas eles foram treinados para lidar com questões delicadas.

Efeitos colaterais e impactos a longo prazo dos medicamentos para a saúde mental

A maioria dos medicamentos de saúde mental ou psiquiátricos tem efeitos colaterais. Os mais comuns são:

  • dores de cabeça
  • ganho de peso
  • tontura
  • boca seca
  • espasmos musculares e cãibras
  • náusea
  • perda de desejo sexual
  • Prisão de ventre
  • sonolência ou problemas para dormir.

Informe o seu médico se tiver algum destes sintomas ou quaisquer outros que não tenha antes de tomar a medicação.

Alguns medicamentos podem ter outros efeitos se forem tomados por muito tempo. Ansiolíticos como Valium são viciantes e, se usados ​​por muito tempo, podem fazer coisas como:

  • deixá-lo deprimido ou paranóico
  • mude sua personalidade
  • dar-lhe dores de cabeça e náuseas
  • fazer você ganhar peso
  • danificar sua memória.

Como os medicamentos se misturam com outras coisas em seu corpo

Os produtos químicos em seus medicamentos podem interagir com produtos químicos em outras coisas que você está tomando – mesmo que seja apenas paracetamol para dor de cabeça ou comprimidos de vitaminas. Por isso, é muito importante informar ao seu médico tudo o que você está tomando.

Certifique-se de contar a eles sobre quaisquer outros medicamentos, vitaminas ou suplementos de ervas que você toma, bem como o que você tem comido e bebido, especialmente álcool.

Medicação no hospital e em casa

Quando você é internado no hospital, geralmente é porque está gravemente doente e precisa de tratamento extra para ficar bem. Enquanto você está no hospital, você geralmente recebe diferentes tipos e doses de medicamentos para o que você pode estar tomando ou será prescrito quando você estiver bem o suficiente para ir para casa. Você também tem pessoas dando seus medicamentos quando você precisa deles. Uma vez que você está em casa, você precisa gerenciar seu uso de medicamentos.

Uma vez que você está em casa, é muito fácil esquecer de tomar os medicamentos e a dosagem certa na hora certa, e você pode não ter pessoas com você o tempo todo para lembrá-lo. Algumas coisas que você pode fazer para ajudar a lembrar de tomar sua medicação na hora certa e na dosagem certa incluem:

faça um cronograma da semana com nomes de medicamentos, a dose, e em que dia e horário cada um deve ser tomado, e coloque na geladeira

coloque seus comprimidos em caixas de comprimidos com rótulos para a hora do dia e o dia da semana em que podem ser tomados

coloque lembretes ou compromissos em seu telefone para quando precisar tomar cada medicamento.

Mantenha consultas regulares com seu médico ou conselheiro para que todos possam acompanhar como está indo e como seus medicamentos estão funcionando para você.