Conheça mais sobre a cirurgia plástica de abdominoplastia

A abdominoplastia é uma das Cirurgia plástica mais realizadas em nosso país, mas, mesmo assim, muitas pessoas ainda possuem dúvidas sobre ela.

Esta cirurgia também é conhecida como cirurgia de abdômen, sendo responsável por retirar o excesso de pele e flacidez do abdômen, melhorando a aparência deixando a pele da região e mais firme.

Mas, está uma cirurgia que não visa o emagrecimento e nem a eliminação de gordura, por isso, não pode ser feita para esse fim. Claro, ocorre uma eliminação parcial de gordura na área, mas o objetivo principal é a retirada da pele e remodelagem da silhueta.

A cirurgia de abdominoplastia

A abdominoplastia é feita através de uma incisão na horizontal, para ter uma noção, na linha dos pelos pubianos, na parte baixa do abdômen.

A extensão desse corte dependerá da técnica escolhida pelo Cirurgião plástico e da quantidade de pele que será retirada, quanto mais pele a ser retirada, maior será o corte. Também, em casos, quando existe uma grande quantidade de pele, pode até mesmo ser necessário um transplante de umbigo ou remodelá-lo.

Este procedimento leva, em média, de 2 a 3 horas, e o paciente devera permanece no hospital internado de 12 a 24 horas, dependendo de caso para caso.

Anestesia usada na Abdominoplastia?

De modo geral, a anestesia utilizada na abdominoplastia é ráqui ou a peridural, mas em procedimentos mais complexos, que exigirão uma remoção de grandes quantidades de pele ou a associação com outros procedimentos, como a lipoaspiração, por exemplo, usa-se anestesia geral.

Abdominoplastia junto com outras cirurgias

Em muitos casos, é recomendado realizar outra cirurgia junto com a abdominoplastia, a lipoaspiração é um exemplo, já que ela ajudará a definir os contornos corporais. Também, podem ser feitas cirurgias de mama e até procedimentos faciais pequenos.

Porém, é necessário que os procedimentos associados a abdominoplastia não demandem muito tempo, já que isso pode aumentar a duração da cirurgia além do que é recomendado.

Quem pode fazer a abdominoplastia?

De modo geral, quem procura a abdominoplastia são pessoas que perderam muito peso e a pele ficou flácida. Assim, mulheres que passaram por uma gestação também podem sofrer com este problema. O que ambos pacientes têm em comum é a flacidez da pele, depósitos de gordura e estrias na região do abdômen.

Este procedimento pode ser realizado tanto por mulheres, como por homens e o resultado será um abdômen mais liso e tonificado.

A única restrição aqui é para as mulheres que tiveram filhos recentemente, já que elas só podem fazer a abdominoplastia pelo menos após seis meses depois do término da amamentação.

Riscos da abdominoplastia

Como toda Cirurgia plástica Brasília, a abdominoplastia também apresenta alguns riscos, como por exemplo, para fumantes, existe um risco maior de necrose do tecido abdominal o que compromete o resultado final da cirurgia.

Porém, nos demais casos, esse risco é bem menor, mas o aparecimento de queloide também pode ocorrer, mas isto depende de fatores genéticos e manutenção da incisão.

Entre os riscos que a abdominoplastia apresenta estão:

  • Infecção da incisão
  • Formação de seroma
  • Hematomas
  • Formação de bolhas e feridas
  • Formação de trombos
  • Alteração da sensibilidade

Como é a recuperação pós abdominoplastia?

Após a alta, será preciso seguir uma série de recomendações médicas para ter uma correta recuperação do seu organismo, como permanecer com drenos por 7 dias, além de realizar sessões de drenagem linfática, por exemplo.

Também é recomendado não andar de forma reta por uma semana para diminuir a dor e evitar romper os pontos. Usar cinta modeladora por 30 dias, também é uma recomendação, já que ela auxilia na diminuição do inchaço.

É importante não fumar nem consumir bebidas alcoólicas durante a recuperação, já que isso ajuda a evitar edemas, sendo importante manter uma alimentação saudável e leve.

Mas, é importante saber que para cada paciente, as recomendações do pré e pós-operatórias podem variar de caso para que o procedimento seja ainda mais seguro. Por isso, não deixe de consultar o Dr. Armando Cunha caso ainda tenha dúvidas.