Saiba as causas da candidíase oral

Apesar de poder atingir pessoas de qualquer idade, a candidíase oral é comumente vista em quem têm o sistema imunológico enfraquecido por doenças, que usam dentaduras ou medicamentos com corticoide, possuindo uma chance maior de desenvolver a doença.

A candidíase oral é uma condição causada pelo fungo cândida albicans, e pode atingir pessoas de todas as idades, desde os bebês até os idosos. 

Ela é formada a partir de lesões brancas que atingem a língua e a parte interna das bochechas, e se não for tratada corretamente pode afetar outras áreas, como:

  • Boca;
  • Garganta;
  • Amígdalas;
  • Gengiva;
  • Céu da boca.

Normalmente, um sistema imunológico fortalecido consegue repelir os vírus e bactérias que podem prejudicar o organismo. Mas quando ele está enfraquecido, o fungo responsável pela candidíase oral pode proliferar.

As condições como a candidíase vaginal, diabetes, a maioria dos tipos de câncer e o HIV (vírus da imunodeficiência humana) enfraquecem o organismo, o que o torna mais suscetível à candidíase oral.

Os sintomas da candidíase oral em crianças e adultos

Os primeiros sintomas da candidíase oral podem não aparecer em um primeiro momento, mas em alguns casos, também pode ser que eles surjam de uma hora para a outra.

Entre os sintomas mais comuns desta condição, podemos destacar:

  • Boca seca;
  • Perda do paladar;
  • Lesões brancas na boca;
  • Dor ao movimentar a boca;
  • Sangramento nas lesões brancas.

As lesões brancas costumam surgir em partes visíveis da boca, mas caso ela se espalhe pelo esôfago, por exemplo, ela pode causar dificuldade para mastigar e dar a sensação de que há “um bolo” na garganta.

Caso apresente algum desses sintomas, procure por um dentista especialista em canal para avaliar a situação. Somente um profissional será capaz de diagnosticar corretamente a doença, além de poder sugerir o tratamento adequado o quanto antes.

Mulher foto criado por cookie_studio – br.freepik.com

Sintomas em bebês

Os bebês podem apresentar dificuldade e inquietação na hora de se alimentar e, assim como em adultos, também irão apresentar lesões brancas pela boca.

Para os bebês em fase de amamentação, o cuidado deve ser redobrado, pois a candidíase pode ser transmitida para a mãe e, se não tratada, de volta para o bebê.

Se houver a suspeita da condição no seu bebê, lembre-se de lavar muito bem suas mamadeiras e chupetas diariamente. Uma solução de partes iguais de água e vinagre é eficiente para ajudar a impedir o crescimento do fungo.

Por isso, se notar os sinais, lembre-se que a visita ao dentista é imprescindível para o diagnóstico e o tratamento correto da condição.

Como tratar a candidíase oral

Independente se você usa prótese fixa dentária ou não, o diagnóstico da candidíase oral deve ser realizado por um dentista de sua confiança. Após uma consulta, ele poderá determinar qual o melhor tratamento a seguir.

Ao falar com o profissional, lembre-se de listar todos os sintomas que detectou, além de informar se faz o uso contínuo de algum medicamento, pois dependendo do tipo, ele pode interferir no tipo de tratamento que o seu dentista irá indicar.

Caso utilize aparelho odontológico transparente, converse com o seu dentista durante a consulta para saber se o tratamento poderá afetar o uso do seu aparelho de alguma maneira, e como deverá realizar a higiene do mesmo durante esse período.

Dependendo do seu caso, o dentista pode receitar remédios antifúngicos orais, pomadas ou enxaguantes bucais. O mais importante é seguir as recomendações à risca para evitar uma piora do quadro. Portanto, não se automedique sem receita médica.

Além disso, durante o tratamento, é importante manter uma higiene bucal impecável, principalmente se você utiliza aparelho lingual, além de evitar alimentos gordurosos e com açúcar, pois eles podem agravar os sintomas e prejudicar a evolução do tratamento.

Pode ser que crianças e bebês sadios não precisem de medicamentos para tratar a condição, já que as lesões costumam desaparecer sozinhas após um tempo. 

Ainda assim, é possível inserir iogurtes naturais na sua alimentação, já que eles podem ajudar a restabelecer o equilíbrio bacteriano. Entretanto, lembre-se de consultar um profissional de odontologia de sua confiança e conversar sobre essa decisão.

Realizar visitas regulares ao dentista para realizar clareamento dental profissional pode ser um fator decisivo para identificar e tratar a condição desde o início.

Para os bebês, é recomendado que também façam consultas regulares desde os primeiros meses de vida. Assim, a saúde bucal é cultivada e preservada, antes mesmo do nascimento dos primeiros dentes.

Conteúdo desenvolvido pela equipe do Status Fit Center, blog criado com o intuito de melhorar a saúde e o bem-estar por meio de conteúdos que reforçam a importância dos cuidados regulares.